Bolsonaro
Agência Brasil

Presidente Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro se antecipou à bomba da saída do ministro da Justiça, Sérgio Moro.

Com uma base governista fraca e diante de um cenário cada vez mais tenso junto ao Congesso Nacional, desde 1º de abril o presidente vem abrindo a porta do gabinete para partidos do chamado Centrão.

Bolsonaro conversou pessoalmente com os presidentes do Progressistas (ex-PP, no qual já desfilou), Ciro Nogueira; MDB, Baleia Rossi; PSD, Gilberto Kassab; DEM, ACM Neto.

Bolsonaro articula o apoio definitivo das bancadas desses partidos para se blindar contra um impeachment. Essa aproximação deve-se ao esforço do ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos.

No fim de semana, Efraim Filho (DEM) e o presidente do MDB, deputado Baleia Rossi, já soltaram um discurso de ‘cautela’ sobre acusações de Moro contra Bolsonaro.

Enquanto isso, Roberto Jefferson e Valdemar da Costa Neto, donos do PTB e PL, respectivamente, já indicam fechar com o presidente. Bolsonaro já tem perto de 400 deputados na base.

ACM Neto tem repetido a amigos, há semanas, que não é bom para o DEM e o País o belicismo verbal do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, contra Bolsonaro.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários