Azul
Agência Brasil
Aéreas brasileiras

As três maiores companhias aéreas (Gol, Latam e Azul) que operam voos domésticos no Brasil estão no hangar e o saldo no vermelho nessa pandemia do coronavírus. Os mais de 14 mil voos semanais foram reduzidos para cerca de 3.500 (queda de 75% das rotas) – e os voos internacionais (de várias companhias) caíram 95% no País.

Pelo menos 60 mil aeronautas, empregados das companhias brasileiras, estão com o emprego em risco. Os dados foram passados à Coluna pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR) – que não mensura, ainda, um valor do prejuízo nesse cenário.

São 557 mil empregos (de aeronautas e aeroviários, funcionários dos aeroportos) em todo o setor, e 334 mil empregos indiretos na cadeia de fornecimento de suprimentos.
Segundo a ABEAR, de 23 de fevereiro a 2 de março, as aéreas nacionais, internacionais e a FAB transportaram cerca de 35,7 mil passageiros ao Brasil, vindos de 31 países.

    Veja Também

      Mostrar mais