O presidente Michel Temer não fará menção à crise política em seu discurso na Assembleia Geral da ONU nesta terça-feira (19). 

Em texto esboçado pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, o peemedebista citará bons números da economia, como a inflação baixa e a retomada do crescimento de variados setores – embora o desemprego ainda continue em alta.    

Em 2016, em seu discurso na ONU, com um mês no cargo, Temer  ressaltou que o impeachment de Dilma Rousseff ocorrera “dentro do mais absoluto respeito constitucional”. Hoje, ele está em situação – e judicial – muito pior que a da antecessora.

O Itamaraty tem informação de que, para constranger Michel Temer, as comitivas de Equador, Bolívia e Venezuela vão se retirar do plenário da ONU durante seu discurso.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários