Uma batalha inflama o Ibama e pode colocar na guilhotina a cabeça da presidente do órgão, Suely Araújo. O superintendente do Ibama no Amapá, Leonardo Melo, avisou a caciques em Brasília que uma subordinada o atropelou e, com aval da presidência, convocou equipe da capital federal para operação que fechou uma dezena de madeireiras no Estado, sem ciência da superintendência local. 

Segundo relatou ao Ministério do Meio Ambiente, o superintendente local só soube da operação quando a equipe já havia deixado o Amapá. 

Os madeireiros protestam. Segundo contam, atuam dentro da lei. Os empresários uniram-se a prefeitos e visitaram o ministro do Meio Ambiente, Zequinha Sarney. Ontem também pressionaram o ministro da Justiça. O Ibama nega qualquer intervenção na superintendência do Amapá. 

A operação foi em Julho e o superintendente diz que ficou no escuro: “Comuniquei a Brasília o que houve; só fiquei sabendo dias depois que a equipe já havia retornado”. 

O caso chegou ao ex-senador José Sarney, pai de Zequinha, que já acionou o presidente Michel Temer para apagar o incêndio. Sarney ficou irritado com a operação e quer a cabeça da presidente. 

Os prefeitos e madeireiros visitaram Sarney em seu escritório no último dia 24, e o ex-senador pelo Amapá telefonou para o filho ministro para que os recebesse de imediato.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários