O escândalo da JBS interferiu na rotina do Congresso Nacional. Na Câmara Federal, a reforma da Previdência foi para a gaveta, por ora. E o Senado analisou apenas 38 matérias em maio – em abril foram 60 votações.

Enquanto isso, a Advocacia do Senado e o Conselho de Ética da Casa guardam numa gaveta há oito meses o pedido de cassação de Renan Calheiros feito por juízes de primeira instância, por causa dos inquéritos que responde no STF.

Já o processo de cassação do senador Aécio Neves continua parado no Conselho de Ética. Mais de 25 dias depois de apresentada pelo Rede e PSOL, a representação ainda aguarda um despacho do presidente  João Alberto (PMDB-MA).

O peemedebista sequer convocou reunião do conselho para esta semana e não prevê data de envio da denúncia para análise da Advocacia do Senado.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários