undefined
Divulgação/Governo do Estado de São Paulo
A ideia da movimentação tucana surgiu após encontro de Temer com o governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB)

O PSDB desembarca rachado, nesta segunda-feira (12), em Brasília para a reunião que decidirá se o partido deixa a base do governo Michel Temer (PMDB).

Leia também: Esplanadeira: Deputado adivinhou prisão, e Moreira x Deltan no Twitter

As bancadas na Câmara e no Senado também estão divididas para ficar ou pular da nau, com poucos indecisos.

Mas se iniciou há dias um curioso movimento dos governadores tucanos para que nada seja decidido neste encontro. Os chefes dos Estados querem ganhar tempo. A ideia surgiu após encontro de Temer com o governador paulista Geraldo Alckmin.

Senadores, deputados, e os presidentes dos 27 diretórios vão se reunir a partir das 17h na sede do partido. Apesar disso, só os 23 membros da executiva decidirão sobre os rumos do partido em relação ao Poder.

Leia também: Fundo partidário já liberou R$ 270 milhões para partidos

A despeito de licenciado do comando do partido, o senador afastado Aécio Neves tem a maioria dos votos na executiva nacional. Até ontem, sua orientação era para manter o PSDB com Temer. Por ora.

Tasso Jereissati, o presidente interino do PSDB, quer pular do Governo. E um pequeno e corajoso grupo tucano defende a desfiliação de Aécio – o que o irritou muito.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários