Enquanto o Supremo Tribunal Federal dá tempo ao tucano, contrariando pedido de prisão feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) – mesmo afastado do mandato – mantém rotina de interlocutor das bancadas do partido na Câmara e no Senado. Dizem aliados até que derrubou um ministro da Justiça.

Além de advogados, nos últimos dois dias e no fim de semana passaram pela mansão do senador, no Lago Sul em Brasília, deputados tucanos da bancada mineira, colegas do Senado e dois ministros do governo de Michel Temer.

E aí, camaradas?

O senador Aécio Neves também procurou senadores que irão integrar o Conselho de Ética do Senado para pedir “voto de confiança”, diante do pedido de cassação feito pelo Rede.

A mesma estratégia usada pelo ex-líder do governo Dilma, Delcídio do Amaral,  que acabou sendo cassado pelo colegiado.

Dos 12 senadores que irão compor o Conselho de Ética confirmados até agora – o Bloco PP/PSD ainda não indicou membros – oito pertencem a partidos alinhados com o Palácio: são do PMDB, PSDB, DEM, PR e PSC.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários