O Conselho Nacional de Combate à Pirataria será reativado pelo Ministério da Justiça, que terá ações de inteligência, coordenação e repressão nas fronteiras, em especial com a do Paraguai. O movimento de empresários com o Governo federal é forte.

Leia também: Desespero venezuelano: Prostituição e acampamentos em Manaus e Boa Vista

O Ministro Osmar Serraglio (Justiça), o deputado Efraim Filho (DEM-PB), da Frente de Combate ao Contrabando, e o coordenador do Movimento em Defesa do Mercado Legal Brasileiro, Edson Vismona, se reuniram há dias para discutir a implementação da campanha “O Brasil que nós Queremos: Unidos pelo fim do contrabando”.

Leia também: Pressão de magistrados e servidores da Justiça pode mudar reforma

 “A união de forças entre Governo, parlamento e sociedade é o caminho para combater o crime do contrabando e o apoio do Ministro da Justiça será fundamental para êxito da defesa do mercado ilegal”, diz Vismona, que foi secretário de Justiça do Governo de SP.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários