Na polêmica do debate, está cada um por si na luta por seus direitos.

O texto da reforma da Previdência chegará um à Câmara Federal e pode sair um Frankenstein, tamanha a quantidade de emendas de variadas classes trabalhistas, as quais pressionam os deputados que defendem suas causas.

Leia também: cresce turismo por agências; e Maluf dá de poeta do caos

Só para dois exemplos, os policiais não querem perder a aposentadoria especial 5 anos mais cedo que o restante dos brasileiros.

E o deputado Lincoln Portela (PR-MG) apresentou emenda para excluir procuradores e magistrados da reforma. Alega que a proposta deveria ser amplamente debatida, e diz que assinou outras emendas para diferentes categorias contra a reforma.

Portela argumenta que o Governo deveria fazer incansáveis debates sobre receita, desvinculação das receitas da seguridade etc antes de votar como um trator a proposta.

Leia também: Cristovam propõe mudança no sistema de escolha de ministros

A Associação Nacional dos Procuradores dos Estados e do DF atua fortemente contra o projeto. Mas espera o presidente Michel Temer na abertura de seu 43º Congresso Nacional em setembro em São Paulo.

Um detalhe, o presidente Temer é procurador aposentado de São Paulo e paga em dia a anuidade com a Anape.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários