Tamanho do texto

No festival de música e arte, Beyoncé homenageou Fela Kuti, músico e ativista africano, citou Malcolm X e a autora Chimamanda Ngozi Adichie em uma noite que vai ficar para a história do festival e da música pop

Beyoncé é a primeira headliner negra na história do festival Coachella
Reprodução
Beyoncé é a primeira headliner negra na história do festival Coachella

Beyoncé foi escalada para a edição passada do festival, a cantora pop cancelou sua participação após anunciar a gravidez de gêmeos. Em 2018, fez história como primeira mulher negra headliner do Coachella, festival de música e arte, em Indio na Califórnia. Exuberante, os looks da cantora, todos criados por Olivier Rousteing, da Balmain, faziam referências à Nina Simone e aos Panteras Negras.

Leia também:  Modelos negros se destacam nos desfiles da São Paulo Fashion Week

Os looks de Beyoncé foram criados por Olivier Rousteing, da Balmain
Reprodução
Os looks de Beyoncé foram criados por Olivier Rousteing, da Balmain

Em um show de duas horas, a cantora Beyoncé vestiu cinco looks diferentes em uma noite épica em que o Coachella teve sua primeira headliner negra na história do festival. Com Beyoncé como principal nome desta edição, o festival também contou com shows de The Weeknd, Eminem, Cardi B e Jamiroquai.

Leia também:  Artistas do cenário LGBT encerram o Festival Periferia Trans

Kelly Rowland e Michelle Williams com quem Beyoncé formou o trio Destiny Child
Reprodução
Kelly Rowland e Michelle Williams com quem Beyoncé formou o trio Destiny Child


Beyoncé brilhou já no início da apresentação, descendo as escadas centrais cantando seu hit “Crazy In Love”. O show da superstar contou ainda com as participações especiais de sua irmã Solange, de seu marido Jay-Z e de Kelly Rowland e Michelle Williams com quem Beyoncé formou o trio Destiny Child.