Tamanho do texto

As cotas raciais em desfiles causaram alarde desde 2009. Nada mais justo, afinal, somos mais que metade da população brasileira e precisamos de representatividade também nas passarelas da moda

100% representatividade: a modelo Mari Calazans abre o desfile de Lenny Niemeyer, na São Paulo Fashion Week
Agência Fotosite
100% representatividade: a modelo Mari Calazans abre o desfile de Lenny Niemeyer, na São Paulo Fashion Week

Sempre dominadas por modelos brancos, as passarelas da São Paulo Fashion Week tiveram mais diversidade na última edição. Modelos negros desfilaram beleza, charme e talento nos desfiles. Depois da badalada marca de lingerie Victoria’s Secret levar modelos negras para passarela com seus cabelos naturais, assumir quem você é nunca esteve tão em alta nas grandes semanas de moda.  

Leia também:  Artistas do cenário LGBT encerram o Festival Periferia Trans

O Brasil e sua mistura com mais de 500 anos: inspiração para marca Água de Coco. Coleção Brasil com Z
Agência Fotosite
O Brasil e sua mistura com mais de 500 anos: inspiração para marca Água de Coco. Coleção Brasil com Z

Representatividade. Essa questão ganhou força na moda brasileira em 2009, depois de uma temporada de desfiles que contou com apenas 8 modelos negros entre 344. Na ocasião, o MPS (Ministério da Previdência Social) fechou um acordo com a Luminosidade, empresa responsável pela SPFW, de que 10% das modelos de cada desfile precisariam ser, necessariamente, negras ou de descendência indígena.

Leia também:  Britânica de alma carioca, Jesuton é carregada de poesia e reflexões

Representatividade e sofisticação na passarela: modelos negras no desfile Uma Raquel Davidowicz, na São Paulo Fashion Week
Agência Fotosite
Representatividade e sofisticação na passarela: modelos negras no desfile Uma Raquel Davidowicz, na São Paulo Fashion Week

Caso alguma marca não cumprisse o acordo a organização estaria sujeita a uma multa de 250 mil reais. As cotas raciais em desfiles causaram alarde na época, mas, a situação atual parece ainda não estar clara, afinal, a diversidade é rica e precisa ser respeitada, embora a edição 45 da SPFW, que sempre teve a passarela dominada por modelos brancos, tenha celebrado a última edição do evento com representatividade nos desfiles.

Leia também:  Thiago Santos, o modelo brasileiro que apareceu no maior outdoor de Nova York

Bastidores da São Paulo Fashion Week: modelos negros prontos para brilhar na passarela no desfile Projeto Ponto Firme
AG. FOTOSITE
Bastidores da São Paulo Fashion Week: modelos negros prontos para brilhar na passarela no desfile Projeto Ponto Firme

O Brasil e sua mistura com mais de 500 anos serviu de inspiração para marca Água de Coco, na coleção Brasil com Z, que abriu os desfiles da São Paulo Fashion Week. Por falar em inspiração, que os reflexos do passar do tempo e do respeito à diversidade, que hoje é muito bem-vinda no mercado da moda, sejam o incentivo para que as marcas apresentem um número maior de modelos negros nas passarelas fashion.