Agência Brasil


.
PMP-BS/Agência Petrobras
De acordo com o projeto, os pinguins começaram a chegar ao litoral do Brasil por volta de junho


Levantamento feito pelo Projeto de Monitoramento de Praias (PMP) da Petrobras, divulgado nesta quarta-feira (16), no Rio de Janeiro, revela que o número de pinguins que apareceram na costa brasileira, este ano, a partir de junho, atingiu a marca de 5.597 animais. O aumento foi de cerca de 35% em relação ao registrado no mesmo período de 2019.

De acordo com o projeto, os pinguins começaram a chegar ao litoral do Brasil por volta de junho, buscando as águas quentes do país e deixando para trás o inverno gelado da Patagônia, que abrange partes da Argentina e do Chile, para nadar nas praias de Santa Catarina, São Paulo, Paraná e Rio de Janeiro.


Os animais são da espécie pinguim-de-magalhães (Spheniscus magellanicus), comum nas Ilhas Malvinas, Argentina e Chile, e realizam anualmente movimentos migratórios sazonais para o Brasil entre os meses de junho e novembro.

Santa Catarina é o estado com maior incidência, onde foram registrados 2.424 pinguins; seguindo-se São Paulo (1.756), Rio de Janeiro (830) e Paraná (556).

Resgate

A assessoria de imprensa da Petrobras informou que as equipes do Projeto de Monitoramento de Praias (PMP) atuam diariamente no litoral brasileiro, com foco no resgate de animais marinhos vivos debilitados e no registro e análise de carcaças de animais mortos.

O projeto constitui ferramenta para a gestão ambiental das atividades da empresa e contribui de forma importante para a conservação das espécies marinhas. A gerente geral de Licenciamento e Conformidade Ambiental da Petrobras, Daniele Lomba, disse que o trabalho é feito em parceria com diversas instituições científicas e organizações não governamentais (ONGs) para garantir a eficiência desse projeto, "que tanto colabora com os órgãos ambientais na conservação e na gestão ambiental".


    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários