Agência Brasil

Secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres cobrou maior esforço dos países emissores de gases
Reprodução/Twitter/antonioguterres
Secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres cobrou maior esforço dos países emissores de gases


O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) , António Guterres , afirmou que "grandes emissores" de gases causadores do efeito estufa deveriam se esforçar mais para chegar à neutralidade de carbono no combate às mudanças climáticas.

Guterres concedeu a primeira entrevista do ano na sede da ONU, em Nova York, nessa terça-feira (4). Ele falou sobre um novo alerta de crise climática feito pela Organização Mundial de Meteorologia, indicando que concentrações de CO2 vão atingir seu recorde em 2020.

Leia também: "No olho" dos riscos climáticos, periferias têm hortas urbanas como aliadas

O secretário afirmou que é importante que "grandes emissores", incluindo os Estados Unidos, a China, Índia, o Japão e a Rússia, anunciem até novembro seu comprometimento em respeitar e assumir a meta de neutralidade de carbono até 2050.

Dificuldade

Para Guterres, o combate às mudanças climáticas  “está sendo dificultado ainda mais por tensões geopolíticas e pela desaceleração econômica”. Ele também disse que espera  contar “com toda a constelação de parceiros, incluindo cidades, autoridades locais, setor privado, instituições financeiras, comunidade filantrópica e sociedade civil”.

Até o momento, 73 países se comprometeram com a neutralidade do carbono até 2050, incluindo a União Europeia. Ainda assim, esses Estados representam apenas 50% das emissões globais.

*Emissora pública de televisão de Portugal

    Veja Também

      Mostrar mais