Brigadistas
Reprodução/Instagram
Voluntários foram acusados com base em depoimentos de partes interessadas na prisão deles

A conclusão do inquérito da Polícia Civil do Pará que acusa quatro brigadistas de Alter do Chão de terem causados incêndios da região balneárea de Santarém foi feito com base em depoimentos de militares e ruralistas.

A informação é do jornal Folha S. Paulo , que teve acesso ao relatório final, e diz que entre os depoentes estão dois caseiros de proprietários rurais das regiões incendiadas e quatro pessoas que declaram vínculo com uma associação de reservistas local.

Leia também: "Não recebemos nada do DiCaprio", dizem brigadistas de Alter do Chão

Ainda de acordo com a publicação, o inquérito não apresenta provas concretas e os depoimentos são de pessoas que não são testemunhas oculares do caso. As acusações foram feitas com base em suspeitas dos denunciante por conta de os voluntários identificarem focos de incêndios antes de outras instituições.

Nos depoimentos, duas pessoas chegaram a dizer que sentiram cheiro de gasolina ao se encontrarem com os brigadistas. Também há relatos de que eles teriam preocupação demais em registrar o combate deles às chamas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários