Tamanho do texto

Em meio ao cenário caótico na Amazônia, governo prioriza investimentos em publicidade e infraestrutura

Bolsonaro prioriza investimentos em publicidade, em meio a crise na Amazônia arrow-options
Alan Santos/PR - 7.9.19
Bolsonaro prioriza investimentos em publicidade, em meio a crise na Amazônia


O Ministério de Meio Ambiente   segue com R$ 195 milhões bloqueados, em meio a cenário caótico,  onde as queimadas estão batendo recorde no bioma da Amazônia .  Informações do repórter Guilherme Amado, da revista Época, mostram que  governo de Jair Bolsonaro (PSL) remanejou R$ 171,3 milhões do orçamento federal na semana passada e investiu 75% desse valor, ou seja, R$ 126,3 milhões, só para a área de publicidade. A verba remanejada para a comunicação cobriria 65% do valor bloqueado para o Ministério do Meio Ambiente .

Leia também: Operação de combate a incêndios na Amazônia pode ser prorrogada

Além do investimento em publicidade, o Ministério da Infraestrutura, especificamente a estatal Valec, foi beneficiada com R$ 45 milhões. A Amazônia é uma das áreas afetadas, entretanto a “promoção e fomento à cultura brasileira”, “aquisição e distribuição de alimentos na agricultura familiar ” e “apoio a tecnologias sociais de acesso à água para consumo humano e produção de alimentos na zona rural” também são exemplos de áreas afetadas pela falta de investimento federal.

Leia também: Aumento de 91%! Desmatamento na Amazônia quase dobra em relação a 2018

Além disso, o Ministério da Educação, principalmente no que diz respeito às bolsas de pós-graduação, mestrado e doutorado, vem sofrendo com diversos cortes . É o caso da  Capes  (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), onde  R$ 2,2 bilhões foram reservados  frente os R$ 4,3 bilhões previstos neste ano.