Tamanho do texto

Estudo analisou dados coletados entre 2000 e 2017; área desmatada o período corresponde a um território maior que o da Alemanha (350 mil km²)

Amazônia desmatada arrow-options
Amazônia.org
Segundo estudo da Universidade de Oklahoma, área desmatada entre 2000 e 2017 é de 400 mil km². Dados do Inpe indicavam o desmatamento de 180 mil km² de área verde.

Segundo um estudo divulgado pela Universidade de Oklahoma, a Amazônia brasileira perdeu cerca de 400 mil km², mais que o dobro do que o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) registrou entre os anos de 2000 e 2017. Relatório foi publicado na revista  Nature Sustainability .

Leia também: Cientistas fazem funeral e 'lápide' para geleira que derreteu na Islândia 

Utilizando um sistema de monitoramento de desmatamento próprio, o Programa de Monitoramento da Floresta Amazônica Brasileira por Satélite (Prodes), o Inpe registrou uma perda de 180 mil km². Entretanto, o estudo, que utilizou outro método, aponta que a área desmatada corresponde a mais de uma Alemanha inteira (357 mil km²).

Apesar do aumento do desmatamento, o relatóio mostra um avanço no reflorestamento entre os anos de 2001 e 2013. Considerando as áreas verdes que foram reflorestadas e permaneceram dessa forma por pelo menos quatro anos, a Amazônia ganhou cerca de 21% do que foi desmatado no mesmo período.

O estudo diz ainda que as unidades de preservação da Amazônia perderam cerca de 20 mil km² e que o tamanho da Amazônia foi subdimensionado em 15% por conta do desmatamento .