Tamanho do texto

Espera-se que fêmea encontrada na natureza procrie com macho que vive há 10 anos em museu na Bolívia; eles podem salvar a espécie da extinção

Planeta

Sapo Romeo
Robin Moore/Global Wildlife Conservation
Sapo Romeo foi descrito por bióloga como 'meio tímido e lento', mas ele precisa procriar com Julieta para salvar a espécie

Julieta, uma fêmea de sapo -aquático-de-sehuencas, foi apresentada em dezembro de 2018 durante sua quarentena no Museu de História Natural Alcide d’Orbigny, em Cochabamba, Bolívia. Esse exemplar foi encontrado em uma floresta nublada por uma recente expedição de uma parceria entre o museu e a organização Global Wildlife Conservation.

Leia também: Sapo minúsculo escuta pela boca

Julieta terá um papel fundamental para livrar sua espécie da extinção: ela foi apresentada a Romeu, antes o último sapo-aquático-de-sehuencas conhecido, que tem vivido no museu nos últimos 10 anos. Nenhum outro sapo dessa espécie havia sido visto em estado selvagem durante esse tempo.

Agora é aguardar para ver o resultado do encontro desses exemplares quase únicos – outros três exemplares foram vistos junto com Julieta na ocasião em que foi capturada.

Leia também: Sapo "sem cabeça" é encontrado por estudante e intriga cientistas; assista