Tamanho do texto

Itamaraty alega que a transição de governo e indefinições sobre o orçamento fiscal não permite que o Brasil receba o evento climático da ONU em 2019

Conferência do Clima da ONU discute ações de combate à emissão de gases que geram efeito estuda
COP21/Divulgação - 30.11.2015
Conferência do Clima da ONU discute ações de combate à emissão de gases que geram efeito estuda


A Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas (ONU) de 2019 não será mais no Brasil. Nesta quarta-feira (28), o Itamaraty emitiu uma nota afirmando que a  transição de governo e as restrições fiscais e orçamentárias não permitiram que o país sediasse o evento em novembro. Desta forma, cabe à organização procurar uma nova sede.

"O governo brasileiro conduziu análise minuciosa dos requisitos para sediar a COP25 ( Conferência do Clima ). A análise enfocou, em particular, as necessidades financeiras associadas à realização do evento. Tendo em vista as atuais restrições fiscais e orçamentárias, que deverão permanecer no futuro próximo, e o processo de transição para a recém-eleita administração, a ser iniciada em 1º de janeiro de 2019, o governo brasileiro viu-se obrigado a retirar sua oferta de sediar a COP 25", informou o Itamaraty.

Leia também: Onyx diz que Noruega tem que aprender com o Brasil sobre a "preservação florestal"

O orçamento para o evento foi definido pelo Ministério do Meio Ambiente em outubro, e tinha se chegado a conclusão de que havia verba para tanto. A reunião, entretanto, não teria levado em conta a transição de governo a partir de janeiro do ano que vem, o que pode gerar uma alteração no orçamento fiscal.

O Brasil confirmou a sua candidatura em 2017, durante a COP 23, e foi aprovado pela ONU deixando uma boa impressão. O País é visto como referência no combate aos gases que geram efeito estufa, sobretudo pelo combate ao desmatamento na Amazônia.  

O anúncio do Brasil chega justamente a uma semana da COP 24, que vai acontecer na cidade de Katowice, na Polônia. O evento da ONU visa discutir políticas e medidas entre as nações para melhorar as condições do clima no planeta, trazendo propostas para a diminuição da emissão de gases que geram o efeito estufa.

No relatório que publica em seu site antes da conferência, a ONU afirma que vai solicitar mais empenho dos países do G20, que se comprometeram no  Acordo de Paris a triplicar os seus esforços na diminuição de emissão de gases até 2030.

Como é tradição da Conferência do Clima acontecer em diferentes regiões alternadamente, a ONU espera que um outro país da América Latina ou do Caribe se candidate para sediar o evento de 2019. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.