Em discurso, presidente criticou medidas de isolamento propostas por governadores
Alan Santos/PR
Em discurso, presidente criticou medidas de isolamento propostas por governadores

Especialistas veem a proposta de relaxar as medidas de isolamento da Covid-19 no Brasil como "genocídio" e "irresponsabilidade" para descrever o que poderia acontecer com os idosos. Eles não foram, no entanto, unânimes ao criticar a sugestão do presidente Jair Bolsonaro. Ao menos um cientista que tem sido consultado para a política de resposta à doença diz não ver risco de o presidente interferir no desenho da reação à epidemia.

Leia também: Brasileiros presos no Peru por causa do novo coronavírus são resgatados

Os pesquisadores foram ouvidos após Bolsonaro sugerir que apenas idosos sejam objeto da estratégia de distanciamento social, e que jovens e adultos voltem ao trabalho e escolas sejam reabertas. Todos criticaram a proposta de isolamento “vertical” (só para um grupo específico), porque quando o vírus se espalha mais rápido no resto da população, ele chega aos idosos mais rápido.

Para Luciana Costa, professora de virologia da Instituto de Microbiologia da UFRJ, a medida “é irresponsável : a não ser que a gente isole totalmente idosos do convívio com qualquer pessoa que esteja circulando com adultos e crianças, não é possível garantir que o vírus não vai chegar até eles”.

"Existem muitas famílias em que o idoso mora numa casa com crianças e e adultos, em espaços pequenos, principalmente nos extratos menos favorecidos da população. Evidentemente, nós entendemos que essas medidas têm impacto relevante na economia . A questão é definir o que é mais importante agora", afirma a cientista .

Leia também: Contra coronavírus, Mandetta recomenda chá, canja de galinha e oração

Tânia Vergara, presidente da Sociedade de Infectologia do Estado do Rio de Janeiro, diz que a economia deve ser uma preocupação, mas não justifica medidas que podem resultar em mais mortes : "as maiores autoridades em epidemiologia e infectologia, não só do Brasil , mas do mundo, não estariam fazendo uma recomendação com um custo econômico e social enormes se não fosse absolutamente indispensável".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários