Tamanho do texto

Material produzido pela tripulação da Estação Espacial Internacional deverá ser aproveitado para investigar a poluição originária da luz artificial

Planeta


Península Ibérica à noite arrow-options
Nasa
Península Ibérica à noite



Quem viu na foto os contornos da Península Ibérica acertou: nesse cenário noturno captado a partir da Estação Espacial Internacional (EEI, ou ISS, na sigla em inglês), as luzes facilitam a tarefa do observador para reconhecer o que está na imagem. Entre os trechos mais brilhantes estão Madri (praticamente no centro da foto), Lisboa (à esquerda), Sevilha (na parte inferior) e Barcelona (no canto direito, perto do fim da península).

Leia também: Nasa adianta primeira caminhada espacial feminina para esta semana

Fazer a identificação de imagens como essas é exatamente o foco do projeto Lost at Night . A iniciativa tem como objetivo aproveitar o imenso acervo de fotos noturnas como essa, tiradas pela tripulação a bordo da EEI e em geral não aproveitadas, para estudar a questão da poluição luminosa e combater seus excessos .

Os pesquisadores do Lost at Night querem contar com o auxílio de cientistas cidadãos para fazer a identificação correta das áreas fotografadas. Com as informações certas, eles poderão estudar a poluição luminosa e como ela afeta os seres humanos e outros organismos.

Leia também: Hubble faz nova foto de visitante interestelar, o 2I/Borisov

    “Enquanto os algoritmos de computador têm dificuldade em distinguir entre estrelas, a Lua e as cidades, as pessoas são mais confiáveis ​​quando se trata de reconhecer padrões e analisar imagens complexas”, diz Alejandro Sánchez de Miguel, principal investigador do projeto.