Tamanho do texto

Gigantesco campo vulcânico dominou a região da Austrália Meridional durante o período Jurássico, entre 180 e 160 milhões de anos atrás

Planeta

Vulcão arrow-options
Reprodução/USGS
Região tinha intensa atividade vulcânica no período Jurássico

Uma equipe internacional de exploradores de subsuperfície da Universidade de Adelaide, na Austrália, e da Universidade de Aberdeen, na Escócia, descobriu um “Mundo Jurássico” de cerca de 100 vulcões antigos enterrados nas bacias Cooper-Eromanga, na Austrália Central.

Leia também: Menos de R$ 5! Após morte de pastor, preço dos CD's de Flordelis despencam

Tais bacias, nas partes nordeste da Austrália Meridional e sudoeste de Queensland, são a maior região australiana de produção de petróleo e gás em terra firme. Mas, apesar de cerca de 60 anos de exploração e produção de petróleo, essa antiga paisagem subterrânea vulcânica do Jurássico passou amplamente despercebida.

De acordo com o artigo publicado na revista “ Gondwana Research ”, os pesquisadores usaram avançadas técnicas de imagem de subsuperfície, análogas à tomografia computadorizada, para identificar a grande quantidade de crateras de vulcões e fluxos de lava e as câmaras de magma mais profundas que as alimentavam. Eles chamaram a região de Província Vulcânica Warnie, uma referência à lenda do críquete australiano Shane Warne.

Mundo jurássico

Os vulcões se desenvolveram no período Jurássico , entre 180 e 160 milhões de anos atrás, e foram posteriormente enterrados sob centenas de metros de rochas sedimentares – ou sobrepostas.

Atualmente um cenário seco e árido, as bacias Cooper-Eromanga teriam sido no Jurássico, dizem os pesquisadores, uma paisagem de crateras e fissuras, lançando cinzas quentes e lava no ar. Redes de canais fluviais a cercavam, evoluindo para grandes lagos e pântanos.

“Enquanto a maior parte da atividade vulcânica da Terra ocorre nos limites das placas tectônicas, ou sob os oceanos da Terra, esse antigo mundo jurássico se desenvolveu profundamente dentro do interior do continente australiano”, diz o coautor Simon Holford, professor associado da Escola Australiana de Petróleo da Universidade de Adelaide.

“Sua descoberta levanta a perspectiva de que mais mundos vulcânicos não descobertos residam sob a superfície pouco explorada da Austrália .”

Atividade bem maior

A pesquisa foi realizada por Jonathon Hardman, então aluno de doutorado na Universidade de Aberdeen.

Os cientistas dizem que as rochas sedimentares do Jurássico que trazem petróleo, gás e água têm sido economicamente importantes para a Austrália, mas essa última descoberta sugere muito mais atividade vulcânica naquele período do que se supunha anteriormente.

Leia também: Joice Hasselmann responde ataque de Glenn Greenwald: "Um mentiroso"

“As bacias Cooper-Eromanga foram substancialmente exploradas desde a primeira descoberta de gás em 1963”, diz o coautor Nick Schofield, professor adjunto do Departamento de Geologia e Geologia do Petróleo da Universidade de Aberdeen.

“Isso levou a uma enorme quantidade de dados disponíveis debaixo do solo, mas, apesar disso, as rochas vulcânicas nunca foram adequadamente compreendidas nessa região até agora. Isso muda a forma como entendemos os processos que operaram no passado da Terra”.