Tamanho do texto

Com a Chandrayaan-2, Índia pretende se tornar o quarto país do mundo a pousar uma nave na superfície lunar; missão foi suspensa por falha técnica

Planeta

Lua arrow-options
Reprodução/Nasa
Índia pretende ir à Lua nesta semana

A missão indiana Chandrayaan-2, que tem como objetivo pousar no ainda não mapeado polo sul lunar, foi suspensa menos de uma hora antes de decolar, após a descoberta de uma falha técnica, informou o jornal “The Guardian”.

Leia também: Grandes cidades enfrentarão condições climáticas "desconhecidas" até 2050

A nave de quatro toneladas deveria decolar às 2h51 (hora local) desta segunda-feira (15) do centro espacial Sriharikota, ao norte de Chennai, mas a 56min24 do lançamento a contagem regressiva foi paralisada. Pouco depois, a Organização de Pesquisa Espacial da Índia confirmou que um problema técnico fora observado no sistema do veículo de lançamento e a missão fora abandonada por aquele dia. Uma nova data deverá ser informada posteriormente.

A próxima janela de lançamento será na terça-feira e durará 16 minutos. Caso não seja aproveitada, neste mês só haveria outra janela de 1 minuto, segundo a rede de TV indiana NDTV .

A Índia tenta, com o Chandrayaan-2, tornar-se o quarto país a enviar missões à Lua, atrás de Estados Unidos, Rússia e China. A meta da missão é pousar no ainda pouco conhecido pólo sul, área onde os cientistas indianos pretender procurar água e reunir dados sobre a composição química e mineral do solo lunar.

A nave está equipada com um aparelho para orbitar a Lua, outro para pousar na superfície e um terceiro para transitar pelo solo e estudá-lo.