Tamanho do texto

Pintura em um bloco silcrete foi encontrado na caverna de Blombos, na África do Sul, já muito conhecida por suas evidências de ocupação humana

A mais antiga pintura rupestre já encontrada está em um bloco localizado em uma caverna na África do Sul
Reprodução/CNN
A mais antiga pintura rupestre já encontrada está em um bloco localizado em uma caverna na África do Sul

Cientistas descobriram a pintura rupestre mais antiga do mundo, com cerca de 73 mil anos, na caverna Blombos, no leste de Cape Town, na África do Sul . Segundo informações da CNN , a imagem encontrada se assemelha com 'uma hashtag ' avermelhada, que foi inscrita em um bloco de silcrete, ou seja, a junção de areia, cimento e cascalho.

Leia também: Milhares de pinturas rupestres são descobertas em cavernas no México

A caverna em questão já era conhecida como sítio arqueológico de ocupação humana datada 70 mil a 100 mil anos. Artefatos como colares de conchas e ferramentas de pedras têm sido localizados na caverna Blombos desde 1991, quando as escavações começaram. Agora, ela também passa a ser o local que guarda a mais antiga pintura rupestre do mundo.

As pinturas rupestres mais antigas já encontradas estão na Europa, África e Sudeste Asiático e são datadas de 30 mil anos atrás. Assim, a mais nova descoberta, publicada nessa quarta-feira (12) na revista científica Nature , muda as noções dos especialistas sobre os seres humanos de épocas remotas.

A análise dos detalhes da pintura revelaram que a cor vermelha na realidade é ocre e que a pedra, sendo macia, deveria ser utilizada como um amolador antes de abrigar o desenho. A “ hashtag ”, na verdade, pode ser compreendida como parte de uma figura muito maior, que deveria ser algo mais complexo.

Leia também: Durante esconde-esconde, garoto tropeça e encontra fóssil de um milhão de anos

Descoberta e estudo da pintura rupestre

Pintura rupestre encontrada na cidade histórica de Machu Picchu, no Peru (imagem meramente ilustrativa)
Ministério da Cultura do Peru
Pintura rupestre encontrada na cidade histórica de Machu Picchu, no Peru (imagem meramente ilustrativa)

O bloco em si foi encontrado há sete anos, em 2011. Contudo, os cientistas precisaram de muito tempo para lidar de maneira cuidadosa com o objeto e analisá-lo. Também foram realizadas tentativas de recriar o desenho de diversas formas, e assim descobriram que um giz ocre com ponta de um a três milímetros foi um dos responsáveis pela “ hashtag ” - ou "jogo da velha". 

Outras linhas do desenho podem ser o resultado de uma única batida das pedras, enquanto algumas outras foram formadas a partir de várias colisões.

O diferencial desta pintura é a presença de uma técnica de desenho. Por mais que existam registros mais antigos de gravuras em ossos, pedras e conchas em nossa história , a presença de desenhos abstratos e figurativas é mais recente e evidencia diversos detalhes sobre os humanos de milhares de anos atrás.

Leia também: Sem saber, viúva de pesquisador espanhol joga 600 peças pré-históricas no lixo

Os desenhos de uma pintura rupestre falam sobre a cultura, comportamento e cognição dessas pessoas, além de mostrar que os antigos Homo sapiens na África do Sul eram capazes de criar formas com diferentes técnicas e em várias superfícies. Agora, os cientistas esperam encontrar mais desenhos do gênero deste período da história.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.