Tamanho do texto

Explorador italiano teria ameaçado nativos do norte da Jamaica na noite de 29 de fevereiro de 1504, dizendo que o deus cultuado por eles estaria "furioso" por não darem comida e, por isso, Lua ficaria vermelha; leia

Há especulações que o italiano Cristóvão Colombo tenha usado estudo sobre 'Lua de Sangue' para salvar sua vida
Reprodução/Wikimedia Commons
Há especulações que o italiano Cristóvão Colombo tenha usado estudo sobre 'Lua de Sangue' para salvar sua vida

É sabido que, antigamente, os eclipses lunares eram considerados presságios malignos, fenômeno observado com terror pelas pessoas em diversas sociedades. Relatos mostram que a 'Lua de Sangue', por exemplo, pode ter influenciado eventos históricos, como o retorno de Cristóvão Colombo à Espanha em 1504.

Leia também: Olhe para o céu! Os nove melhores eventos astronômicos para observar em 2018

Acredita-se que o explorador italiano teria usado um “truque” envolvendo a ' Lua de Sangue ' para convencer indígenas na costa norte da Jamaica a dar comida a ele aos membros da tripulação, para que assim, pudessem viajar de volta à Europa.

Mas, como ele fez isso? De acordo com informações publicadas pelo Núcleo de Astronomia Centro Ciência Viva do Algarve, em outubro de 1492, Colombo chegou a uma ilha a nordeste de Cuba, posteriormente nomeada São Salvador.

Após dez anos, o navegador realizou outras três viagens ao que chamava de “Novo Mundo”, ou seja, a América. Porém, foi somente na quarta e última viagem, enquanto explorava a costa da América Central, que Colombo foi pego por um imprevisto que deu outros rumos para os seus planos.

Leia também: "Superlua de Sangue Azul"! Entenda raridade dos 3 eventos lunares

Isso porque, depois de deixar a Espanha, em 1502, ele foi obrigado a abandonar suas embarcações por causa de uma epidemia de térmitas, ficando encalhado na costa norte da Jamaica, onde foi recebido pelos nativos.

A princípio, a relação foi “amigável”. Entretanto, conforme o tempo foi passando, as tensões aumentaram e os ‘anfitriões’ decidiram parar de fornecer comida – como mandioca e peixe – para os náufragos, que, por sua vez, mataram nativos para se vingar.

Conta-se que, a fim de conseguir alimentos novamente, Cristóvão Colombo resolveu utilizar de seus conhecimentos científicos para executar um plano. Para tanto, ele consultou o almanaque astronômico elaborado pelo matemático e astrônomo alemão, Johannes Müller von Königsberg, também conhecido como Regiomontanus.

Foi assim que o explorador italiano teria descoberto que, na noite de 29 de fevereiro de 1504, uma quinta-feira, ocorreria um eclipse total da Lua . Sabendo disso – e desesperado para recuperar as regalias que recebia dos nativos –, ameaçou os nativos, dizendo “que a Lua ficaria vermelha naquela noite porque o deus deles estava furioso por lhes negarem comida”.

Como “previsto” por Colombo, a Lua de tom avermelhado surgiu no céu, deixando a população da ilha apavorada. Diante do evento, o cacique teria recorrido a Colombo, prometendo que, se ele fizesse com que ‘deus se acalmasse’ e a Lua voltasse à coloração normal, voltaria a fornecer alimento para todos.

Leia também: Com formato de caveira, "asteroide do Halloween" passará perto da Terra em 2018

O explorador europeu, então, aceitou a proposta do chefe local e pediu que esperassem por 50 minutos. Colombo virava uma ampulheta a cada meia hora para medir os estágios do eclipse lunar, com base nos cálculos do almanaque de Regiomontanus.

E antes do fim da ' Lua de Sangue' , Colombo apareceu à população nativa, anunciando o perdão do deus a que o grupo cultuava. Séculos depois, as especulações sobre tal feito permanecem. Acredita-se que os exploradores só retornaram vivos à Espanha em 1504 por causa do estoque de alimentos feito na ilha.