Tamanho do texto

Alemão se preparava para fotografar a queda de meteoros quando avistou luz verde atravessando o céu; ESA sugere que fenômeno seja estrela cadente

Fotógrafo Uwe Reichert estava se preparando para registrar meteoros quando foi surpreendido por luz misteriosa
Reprodução/Uwe Reichert
Fotógrafo Uwe Reichert estava se preparando para registrar meteoros quando foi surpreendido por luz misteriosa

Se você olhar para o céu à noite, talvez consiga identificar eventos celestes maravilhosos, como estrelas cadentes. E foi exatamente isso o que aconteceu com um fotógrafo alemão no último sábado (16), após montar seu equipamento e esperar o momento exato para fazer imagens de meteoros, quando foi surpreendido pelo que testemunhou. 

Leia também: Nasa revela que 'rede protetora' contra asteroides está 'vulnerável'; entenda

Segundo o Daily Mail, ao contrário do planejado, o fotógrafo Uwe Reichert não presenciou a queda das rochas espaciais, mas, sim, a Lua Crescente se alinhando a Vênus, além de uma luz verde atravessando o céu, queimando na atmosfera terrestre.

A imagem do acontecimento cósmico foi tão compartilhada nas redes sociais, que chegou aos astrônomos da Agência Espacial Europeia (ESA), que destacaram o ocorrido como “a natureza atuando como a melhor diretora de arte do universo”.

Registro do fotógrafo e a misteriosa luz verde que atravessou o céu

Reichert, que é editor-chefe da revista de ciência Sterne un Weltraum , revelou que, para fazer a foto, precisou somente ajustar a abertura e a sensibilidade da câmera e esperar. Ele comentou que no momento em que a Lua passou a se alinhar com Vênus, posicionou-se para fazer os registros e foi surpreendido por um 'raio verde' misterioso.

Leia também: Cientistas flagram ‘arroto’ de buraco negro supermassivo após devorar estrela

“Primeiro, uma luz branca brilhou acima de Vênus, moveu-se para baixo em alta velocidade e se transformou em uma espécie de relâmpago esverdeado. Foi tudo muito rápido, depois da foto,  a luz desapareceu como se tivesse se desintegrado em faíscas no horizonte”, informou o alemão à equipe da ESA.

O editor ainda pontuou que, apesar de ser um observador de longa data, nunca viu nada parecido com a luz esverdeada, e que, por ser tão brilhante, considerou ser um fogo de artificio ‘explodindo’ no céu.

Leia também: Cientistas britânicos identificam "nuvens de diamantes" brilhando na Via Láctea

Os especialistas da ESA descartaram a possibilidade de ser fogos de artifícios conforme imaginado pelo fotógrafo por causa da velocidade e do ângulo em que a luz se lançou no céu.  "O ‘raio’ estava a quilômetros de distância para ser considerado um fogo de artificio. Além disso, a luz estava em trajetória de queda, o que nos leva a identificar que veio de cima das nuvens. É muito semelhante a uma estrela cadente, apesar da coloração distinta”, finalizaram.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.