undefined
Reprodução/Mirror
Para ser incluso na missão é necessário se cadastrar no site da Nasa, na área da Parker Solar Pobre para receber certificado

A Agência Espacial Norte-Americana (Nasa) está convidando pessoas a mandarem seus nomes para que sejam enviados ao Sol . Por meio da espaçonave Parker Solar Probe , os cientistas estimam colocar os registros em um microchip de memória, que viajará pelo espaço na temporada de verão no Hemifério Norte do próximo ano.

Leia também: Equinócio de outono acontece nesta terça-feira: saiba como observar o evento

De acordo com o Mirror , a espaçonave será enviada para a atmosfera solar levando a lista de nomes, e consequentemente “um pedacinho” da humanidade com ela. O administrador da Diretoria de Missões Científicas da  Nasa afirma que, além de passear com as identificações humanas, a missão servirá para desvendar condições brutais de calor e radiação.

Ele também explica que, para ser incluso na lista, é necessário se cadastrar no site da Nasa, na área da  Parker Solar Pobre para receber um certificado comprovando sua participação na missão solar.  

A missão e novo recorde de proximidade

A espaçonave, batizada em homenagem ao astrofísico e um dos pesquisadores da teoria das tempestades solares, Eugene Parker, viajará pelo espaço em 2019, realizando registros e pesquisas sobre como a energia e o calor se comportam na coroa do Sol. Segundo a equipe responsável pela missão, entender como as tempestades, as partículas e os campos magnéticos do Astro Rei são acelerados é um objetivo central a ser trabalhado no projeto.

Leia também: Planetas, estrelas e satélites já podem ser explorados via Google Maps

Estimando a concretização de seu voo mais próximo, a Parker estará a 8,5 raios solares, o equivalente a 5,9 milhões de quilômetros da superfície solar, ou da fotosfera, como é categorizada pelos estudiosos. A distância prevista representa uma aproximação sete vezes mais eficaz do que o recorde de proximidade anterior, conquistado pela espaçonave Helios 2 em 1976, que chegou a 43 milhões de quilômetros do Sol.

Devido ao encurtamento na distância, os astrônomos estão trabalhando para que a espaçonave seja resistente a temperaturas acima de 1.377ºC. Com a ajuda de um escudo de carbono de 11,4 cm de espessura, eles esperam proteger a sonda e seus componentes internos, incluindo o chip com a lista de nomes.

Leia também: Planeta anão mais próximo da Terra, Ceres pode abrigar água e vida alienígena

A sonda será lançada a bordo de um foguete Delta IV-Heavy, entre 31 de julho e 19 de agosto, passando por Vênus para que consiga chegar ao seu destino final. “A Parker Solar Probe é, literalmente, a mais rápida, quente - e, para mim, a mais legal  das missões que envolvem o Sol. Essa nave espacial com toda certeza revelará muitas coisas que ainda são misteriosas para nós", conclui o cientista pertencente a nova missão da Nasa, Nicola Fox.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários