Tamanho do texto

Sonda Cassini fotografou objetos extremamente grandes dentro de um anel de Saturno; missão tenta explorar lua do planeta, onde pode existir vida

Estruturas misteriosas foram fotografadas em anel exterior de Saturno em 2016; cientistas ainda não concluíram o que são
NASA/JPL-Caltech/Space Science Institute
Estruturas misteriosas foram fotografadas em anel exterior de Saturno em 2016; cientistas ainda não concluíram o que são

A sonda Cassini, da agência espacial americana Nasa , realiza nesta segunda-feira (27) seu 13º mergulho pelos anéis de Saturno. A missão visa fotografar de perto o anel F do planeta gigante e, ao mesmo tempo, medir a temperatura da superfície de Encélado — lua de Saturno, onde é possível que exista vida no oceano sob a camada de gelo do satélite. Além disso, a sonda buscará traços de outro satélite do planeta gigante, Dione, e irá medir a força do campo magnético dentro dos anéis.

Durante mergulho anterior nos anéis de Saturno , cujas fotos foram recentemente publicadas pela Nasa na última sexta-feira (24), a Cassini aproximou-se do anel F a 8,7 mil quilômetros de distância e tirou fotos de duas estruturas estranhas que "misturam" pó no anel. 

Esses objetos, segundo os cientistas, foram descobertos pela sonda Cassini ainda no ano passado, durante um dos primeiros voos de saída para órbita polar. Todavia, as estruturas não foram batizadas oficialmente, mas astrônomos as chamam de F16QA e F16QB.

Se os F16QA e F16QB conseguirem sobreviver ao encontro com a lua Prometeu, poderão mudar completamente o aspecto do anel F, cobrindo-o com desenho complicado de "fluxos" de pó que serão entrelaçados uns aos outros devido à interação gravitacional com esses objetos.

LEIA TAMBÉM: Nasa celebra aniversário de "supernova titânica" com imagens incríveis

O que são os anéis de Saturno?

Segundo astrônomos da Nasa, os anéis de Saturno surgiram devido à destruição do "embrião" de outro planeta nos primeiros dias de existência do Sistema Solar. Como estava muito próximo do planeta gigante, ele foi puxado pelas forças de afluência e desmembrado em "migalhas". Os fragmentos mais densos foram "comidos" por Saturno e pelo seu satélite Titã. As partes restantes formaram os anéis. 

O próximo voo da sonda Cassini aos anéis de Saturno está marcado para o início de março. No âmbito dessa aproximação, a sonda irá medir a concentração de hidrogênio e hélio na atmosfera de Saturno e examinar a composição química das suas camadas altas e tirar fotografias de alta qualidade "noturnas" dos anéis. Espera-se presenciar colisão de meteoritos pequenos com matéria dos anéis. Além disso, a sonda da Nasa irá tirar fotos mais detalhadas de Pã, o satélite "regente" de um dos anéis de Saturno, aproximando-se dele a 25 mil quilômetros de distância. 

*Com reportagem do serviço em português da agência estatal russa Sputnik News

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.