Coletiva da Prefeitura de SP
Foto: Reprodução/Internet
Coletiva da Prefeitura de SP


O feriado prolongado de dez dias na cidade de São Paulo, que terminou no último domingo (4), resultou na taxa de isolamento de 80% no município, de acordo com dados apresentados, nesta quinta-feira (8), pela prefeitura da capital paulista.

Os dados mostram que o pico do isolamento foi no último domingo (4), com 87% de isolamento. No mesmo dia, a medição da gestão do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), apontou 50% na mesma taxa.

O objetivo da medida era aumentar os índices de distanciamento e reduzir a circulação de pessoas no município para combater a disseminação do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

De acordo com a gestão municipal, diferente da gestão estadual, quatro índices foram analisados para chegar ao número do isolamento, em uma metodologia própria da gestão municipal. O anúncio foi feito durante coletiva de imprensa da prefeitura de São Paulo.

O secretário de Governo, Rubens Rizek, afirma que são observadas as "catracadas" nos ônibus, com a quantidade de passageiros que passam o Bilhete Único;a quantidade de carros nas ruas da cidade, a estimativa de lentidão no trânsito, em uma parceria da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) com o suporte do aplicativo Waze, e um apanhado da emissão de notas fiscais de diversos serviço na capital paulista. 

Ainda de acordo com Rizek, o isolamento social antes de o estado entrar na fase vermelha do Plano São Paulo, no dia 6 de março, era de 40% e evoluiu para 60%. Durante o período do feriadão, ele afirma que a taxa chegou ao nível "extremamente satisfatório" de 80%.

Você viu?

"Estávamos com isolamento não suficiente na cidade, na ordem de 40%, aquém do que as equipes recomendam. Isso, antes das medidas restritivas do governador João Doria. Quando a fase emergencial é implementada, o isolamento sobe para 60%, mas quando o prefeito agrega medidas na semana passada, o índice fica absolutamente satisfatório e chegamos a um indicador de mobilidade e isolamento em 80%", afirmou Rizek.

Isolamento na capital paulista
Foto: Reprodução/Prefeitura de SP
Isolamento na capital paulista



 Dados estaduais são diferentes

Apesar de considerar os números "um sucesso", a metodologia é muito diferente dos índices contabilizados pelo sistema de monitoramento do governo estadual.

De acordo com o índice estadual, na cidade de São Paulo, nos dias em que foram antecipados os feriados, a taxa de isolamento não mudou, na comparação com a semana anterior aos feriados, e variou entre 43% e 47%.

Ainda segundo do dados do Simi (Sistema de Monitoramento Inteligente do Governo do Estado), as porcentagens mais altas alcançadas no período entre 26 de março e 4 de abril foram de 50%, em dois domingos (28/3 e 4/4). No entanto, em domingos anteriores, a capital paulista já havia registrado neste ano taxas iguais e até superiores, como em 3 de janeiro e 21 de março, com 51%.

Níveis entre 55% e 60%, considerados como satisfatórios pela gestão estadual, foram alcançados somente até maio de 2020. De junho em diante, com exceção aos domingos, as taxas estiveram frequentemente abaixo de 50%.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários