Géssica Tizon, morta pelo pai
Reprodução O Globo
Géssica Tizon, morta pelo pai

Claudinei Tizon, de 42 anos, foi denunciado pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) nesta quarta-feira pelos crimes de feminicídio contra a filha e a esposa, além de três tentativas de homicídio contra os sogros e o cunhado. Os crimes ocorreram no último dia 12, no município de Rodeio, em Santa Catarina.

Segundo o promotor de Justiça Victor Abras Siqueira, que apresentou a denúncia um dia após a conclusão do inquérito policial, todos os crimes seriam qualificados pelo motivo fútil e pela impossibilidade de defesa pelas vítimas. Claudinei segue preso preventivamente no Presídio Regional de Blumenau, no Vale do Itajaí.

Géssica Dias Tizon, de 20 anos, morreu após ser atingida por ao menos três golpes de faca pelo pai, que foi preso em flagrante. Ele estava ferido, próximo ao local do crime, e chegou a ser levado ao hospital junto com as outras vítimas: a ex-mulher, Claudete Tizon, de 38 anos, os ex-sogros, Maria Gorete e Adenir Pedro Dias, de 56 e 61 anos, respectivamente, e do cunhado, Edenir João Dias, de 34 anos.

Segundo a polícia, o ataque ocorreu após uma medida protetiva que a ex-mulher tinha solicitado contra ele. Após 23 anos de casamento, Claudete fugiu para a casa dos pais em virtude das constantes agressões e ameaças de morte pelo companheiro. Inconformado, o homem foi à casa dos sogros, a 50 metros de sua residência.

Na sequência, ele teria apontado a arma para a esposa, mas foi atrapalhado pelo sogro, que correu na sua direção. Nesse momento, o acusado teria tentado atingi-lo com um golpe na cabeça. Foi então que a sogra interveio, recebendo três facadas nas costas, da mesma forma que o cunhado. Em seguida, ele atingiu a esposa, até que a filha se colocou entre eles. Géssica recebeu quatro golpes de faca no peito. Um deles atingiu o coração, causando sua morte.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários