polícia civil
Agência Brasil
Crime ocorreu em 12 de maio, quando agentes que investigavam ação da milícia em Santa Cruz foram atacados


Morreu, nesta sexta-feira (10), Marlon Brando Jefferson de Oliveira Machado, conhecido como Kiko do Rodo. O suspeito foi baleado durante uma ação para cumprimento de um mandado de prisão expedido contra ele pela morte do policial civil Rodrigo Guadagno dos Santos, em 12 de maio. Kiko também era apontado como chefe da segurança da milícia de Antares.


De acordo com a Polícia Civil, Kiko do Rodo foi encontrado, nesta tarde, em Paciência, na Zona Oeste, e reagiu à prisão. Na troca de tiros, ele foi atingido e socorrido, mas morreu .

Segundo investigações, Kiko do Rodo era gerente do tráfico de drogas na comunidade do Rodo (Rola), em Santa Cruz. Em 2017, ele teria se juntado à milícia que atua em Antares, se tornando chefe da segurança do grupo.

Kiko já respondia por tráfico de drogas e associação para o tráfico na Vara Criminal de Santa Cruz. Depois da morte do agente do DGCOR-LD, passou a responder também por homicidio e tentativa de homicídio dos policiais civis, além de porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e receptação do veículo roubado. Ele também era investigado pelo crime de organização criminosa.

Mandado de prisão

De acordo com o inquérito, Kiko do Rodo foi o autor do disparo que matou o policial Rodrigo Guardagno nos Santos, de 31 anos, em 12 de maio. Naquele dia, agentes do Departamento Geral de Investigação a Corrupção, Crime Organizado e à Lavagem de Dinheiro/DGCOR-LD, que investigavam a ação de milicianos na Zona Oeste do Rio, foram atacados em Antares, na Zona Oeste.


    Veja Também

      Mostrar mais