Laura durante apresentação no Museu do Amanhã
Reprodução
Laura durante apresentação no Museu do Amanhã

"Sou cantora de ópera." Assim se apresenta Laura Gabrielly de Araújo, de apenas 5 anos, cujo vídeo cantando a música infantil “A baleia é amiga da sereia” em tom lírico, numa apresentação escolar na última quarta-feira no auditório do Museu do Amanhã, no Centro do Rio, já soma mais de um milhão e meio de visualizações no Twitter. Até a noite de sábado, ela era um dos assuntos mais comentados do Twitter. A aluna do Pré-2 de uma escola da rede municipal em Realengo, Zona Oeste, se exibiu diante de colegas para quase 400 pessoas. Vergonha? Nenhuma!

"Senti muita alegria e amor no coração ao ver todo mundo batendo palmas para mim. Achei muito colorido", disse a menina, filha única da professora de educação infantil Anna Paula Teixeira e do mecânico industrial e percussionista amador Daniel de Araújo. "Aprendi do nada", diz a criança quando questionada sobre como aprendeu a cantar assim.

Depois de viralizar nas redes, Laura diz que quer ser cantora. Os pais ainda estão assustados com a repercussão. Mas a blogueira mirim, que já tem canal no YouTube e perfil no Instagram (@laura_gabi5), onde se apresenta como “cantora lírica em descoberta”, está em êxtase e sonha chegar a um milhão de seguidores no Insta. De quarta para cá, saiu de cem para mais de 2.500. A pequena faz questão de acompanhar tudo e saber o que falam a seu respeito.

"Queremos ver a Laura feliz. Vamos fazer o que for possível para ela conquistar o que deseja. Ela já tinha canal no YouTube e uma conta no Instagram, agora criamos uma no Twitter. Ela adora. Grava vários vídeos dizendo "boa tarde, galerinha, eu sou a Laula e estou aqui no meu canal", ri a mãe.

A pequena escolhe o seu repertório; a música preferida é "Borboletinha". E já mostra que o talento não é só com a voz. Mesmo sem ter tido aula, ela já toca o teclado que ganhou quando tinha 3 anos.

"Fui na loja, escolhi e aprendi a tocar. Na verdade, eu já sabia, assim como sabia cantar. Eu nasci assim", diz a menina.

A primeira apresentação foi para diretores da rede municipal do Rio, em Sulacap. Em seguida, na quarta, foi com a turma do Pré-2 no lançamento do Rio Alfabetiza, programa voltado para reforçar a alfabetização de crianças e reduzir a desigualdade e a defasagem educacionais até 2024.

"Laura ofereceu um número lindo a um público imenso sem se intimidar. Os alunos mostraram não só talento, mas um trabalho pedagógico importante, de ensino da cultura musical, do clássico ao popular", elogiou o secretário municipal de Educação, Antoine Lousao.

Músico e diretor do Instituto Musical Bittencourt, escola de música de Cruzeiro, São Paulo, Luciano Bittencourt acredita que Laura tem futuro no canto.

"Ela canta muito bem, imposta a voz para cantar. Para a pouca idade, define muito bem as notas, é muito afinada. Ainda é cedo determinar se ela é soprano ou contralto, mas o que dá para analisar é que ela é uma contraltina infantil."

A família chegou a procurar aulas de musicalização infantil para Laura perto de casa, na comunidade do Batan.

"Existem algumas opções, mas são longe para a gente e ainda tem a questão de transporte e dos gastos. Os preços são muito elevados — diz o pai."

'Mãe, olha como eu sei cantar'
Laura acorda, faz refeições e anda na rua cantarolando. Em festas da família, dá show. Mas chamou a atenção há um ano, quando começou a entoar músicas infantis em tom lírico.

"Um dia ela acordou e falou: 'Mamãe, olha como eu sei cantar!' A Laura nunca tinha escutado uma ópera, não tinha referências. Quando voltou para o colégio este ano, as professoras perceberam seu talento e começaram a incentivar. Agora ela só canta assim, todas as músicas — conta a mãe, que canta para a filha desde a barriga: — Quando ela nasceu, fiz um vídeo cantando músicas que eu cantava na gravidez. Ela riu, gosta muito de música — diz Anna Paula, que chorou quando viu a filha no palco na quarta-feira."

Depois que começou a usar o tom lírico, seus pais lhe mostraram vídeos do tenor italiano Luciano Pavarotti (1935-2007).O pai coruja diz que sempre soube que a filha seria uma estrela, mas não, uma cantora lírica.

"Ela nasceu com um dom e o está desenvolvendo. Sempre incentivei que se envolvesse com música, mas foi supreendente. Eu e toda a família somos fãs", afirma ele, que dá suporte nos ensaios da filha.

O repertório da menina vai de “Brilha brilha estrelinha” a “Parabéns para você” — em inglês e português —, passando pelo sucesso “Baby shark” e até “Cidade maravilhosa”. Agora, Anna Paula já pensa numa música de São João para preparar a menina para a festa julina da escola, que deve ter um show de talentos:

"Vai que chamam ela para cantar! Ela pega a música fácil!"

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários