O ex-ministro da Educação Milton Ribeiro
Antonio Molina/Agência O Globo - 26.04.2022
O ex-ministro da Educação Milton Ribeiro

A Polícia Federal concluiu que o ex-ministro da Educação  Milton Ribeiro não cometeu crime em um disparo de arma de fogo ocorrido no aeroporto de Brasília. Por isso, a PF decidiu que não havia elementos para abertura de inquérito e encerrou o caso.

Uma funcionária de companhia aérea, que estava grávida, chegou a ser atingida de raspão por estilhaços. A PF colheu os depoimentos das testemunhas e concluiu que o disparo havia sido acidental.

O ex-ministro descumpriu regras da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e da Polícia Federal no procedimento, porque tentou descarregar a arma no momento do check-in. Os dois órgãos determinam que a arma deve estar "descarregada" durante o trânsito em áreas de aeroporto.


Na resolução nº 461, de 2018, a Anac detalha que o desmuniciamento é "de responsabilidade do passageiro e deve ocorrer previamente à chegada ao aeródromo". Há ainda a possibilidade de descarregar o equipamento no aeroporto, mas em "local destinado" a essa finalidade.

"Durante o desmuniciamento, o cano da arma de fogo deverá sempre estar apontado para caixa de areia ou dispositivo de segurança equivalente, no caso de realização do procedimento no aeródromo", diz a norma. A assessoria do Aeroporto Juscelino Kubitschek já confirmou anteriormente que há uma sala específica da PF para realizar esse procedimento.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários