RJ: Mulher diz ter engravidado sozinha em banheira de hidromassagem
Reprodução
RJ: Mulher diz ter engravidado sozinha em banheira de hidromassagem

Uma mulher, casada, se hospeda em um hotel cinco estrelas no Rio de Janeiro e engravida sozinha, segundo relatou ao marido quando este voltou de uma viagem por compromissos de trabalho no exterior, aí veio o susto e a indignação.

A situação ocorreu quando o marido em questão, que estava em viagem a trabalho pela Europa por seis meses ao retornar para casa encontrou a mulher grávida. A esposa alegou ter viajado para o Rio de Janeiro, com a irmã a passeio e no hotel de luxo se hospedou, teria ficado muito tempo na banheira de hidromassagem, de acordo com ela a banheira poderia não ter sido limpa adequadamente e estar suja de esperma de hóspedes anteriores, o que teria ocasionado sua gestação.

O caso veio à tona a partir do momento em que a advogada, Lu Lage, de Belo Horizonte, postou um vídeo nas redes sociais falando sobre o caso e comentando sobre quando o casal resolveu procurar assessoria jurídica para dar entrada na ação judicial contra o hotel, o que fez com que o vídeo fosse compartilhado por internautas curiosos com a narrativa.

“Fui procurada pelo marido que me solicitou consultoria jurídica para lidar com o caso e revoltado com a situação queria que eu ajuizasse uma ação para processar um hotel de luxo no Rio de Janeiro, alegando ele que ao rerornar para cas após uma longa viagem a negócios na Europa, se deparou com a esposa grávida. Bravo, chegou a tirar satisfação e disse que a mulher jurou que a única coisa que fez foi viajar até o Rio para passear, tendo se hospedado no tal hotel cinco estrelas e usou inúmeras vezes a banheira de hidromassagem e que essa era única explicação”, relata Lu.

De acordo com a advogada, esse teria sido um primeiro encontro para uma conversa sobre o que pretendia o marido que queria receber com a ação, “uma indenização do hotel cobrando valores por danos psicológicos causados à esposa em reparação ao que aconteceu nas dependências do estabelecimento, e que o hotel arque com com todos os custos da criança, como “punição pela irresponsabilidade do hotel em não esterilizar a banheira de hidromassagem de maneira adequada”.

Leia Também

A versão da esposa

Lu, foi às redes sociais novamente, e num segundo vídeo relatou que ao ter um novo encontro com o casal, a advogada conversou separadamente com a esposa e ela deu outra versão sobre o fato.” Eu chamei a esposa para conversarmos a sós, depois fiz o mesmo com o marido. Eu expliquei que seria uma ação sem nexo, sem uma justificativa plausível. Seria impossível perto de tudo que já vi. Foi aí que a mulher, angustiada, contou a versão dela”.

A esposa sem saber como lidar com a situação falou a versão dela, de que durante o passeio no Rio de Janeiro, saindo de um lugar, estava na rua, quando foi pegar o carro para retornar ao hotel, foi surpreendida, arrastada para um canto e estuprada. A banheira foi a forma menos desagradável e dolorosa que ela encontrou para dar uma explicação ao marido e que temia pela segurança dele pois é muito nervoso, explosivo e sempre foi ciumento demais”.

A advogada conta que questionou sobre abertura de boletim de ocorrência para rever a situação, a mulher disse não ter procurado a polícia por vergonha, “e que deseja tirar o filho, porque o rapaz que a estuprou é negro, ela é loira e o marido é branco também”, conta Lu sobre a justificativa dada pela cliente. Lu diz ainda que ao ouvir a mulher dizer que foi estuprada o marido ficou nervoso, chorou muito e falou “ entende o que a esposa sente, imagina o sofrimento dela, compreende a mulher por querer esconder a situação porque estava envergonhada e resolveu poupá-lo".

Lu disse que conversou com o casal para explicar os trâmites que envolvem um ação judicial como essa para conseguir uma autorização para um aborto. O marido disse “que conversaria com a esposa e que por ele ficaria com o filho, já ela, ela quem não está querendo”, recorda.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários