Fraudadores usam internet para aplicar golpes
Pixabay
Fraudadores usam internet para aplicar golpes

A Polícia Civil de Mato Grosso recuperou na última semana mais de R$ 35,5 mil, de diferentes vítimas de golpes aplicados pela internet. Os registros foram feitos em Cuiabá e no interior do estado, além de outras regiões do país. De acordo com o delegado titular da Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Informáticos (DRCI), Ruy Guilherme Peral, os criminosos têm se especializado na criação de golpes e utilizam os mais diferentes meios para enganar as vítimas. Ele fez um alerta para que a população tenha cuidado antes de fazer qualquer transferência de valor.

"Os estelionatários cada vez mais tem criado diferentes situações para enganar e induzir as vítimas a erro. Antes de fazer qualquer transferência de valor, as pessoas devem desconfiar sempre, conversar por meio de ligação ou pessoalmente com a pessoa que solicitou a quantia, conferir as contas que serão realizados os depósitos para não ser vítima de golpe", disse o delegado.

Falso perfil no Whatsapp

Em ação conjunta com a Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Barra do Garças e apoio do Setor de Prevenção de Fraudes do Banco Bradesco, a DRCI recuperou R$ 1 mil de uma vítima que caiu no golpe do falso perfil do whatsapp. O caso ocorreu na última terça-feira, quando o golpista se passou pela filha da vítima para solicitar valores que foram transferidos para duas contas distintas.

Em outra situação semelhante ocorrida, na sexta-feira em Cuiabá, o criminoso se passou também por um familiar e pediu a quantia de R$ 2.119, que foi transferido pela conta indicada pelo suspeito. Após a transferência do valor, o golpista novamente pediu mais dinheiro. Desta vez no valor de R$ 4 mil. No entanto, a vítima ligou para o filho e percebeu que tinha caído em um golpe. A Polícia Civil conseguiu contato com o banco e foi possível o bloqueio total do valor transferido.

Instagram clonado

Uma vítima do município de Vera também caiu no golpe ao fazer a compra de eletrodomésticos, que eram anunciados no perfil de um amigo pelo do Instagram. A vítima fez a transferência dos valores via pix e somente descobriu se tratar de um golpe quando foi buscar os objetos. A DRCI foi acionada e com apoio Setores de Prevenção de fraudes do Pagseguro e Caixa Econômica Federal foi possível a recuperação de R$ 3,7 mil transferidos pela vítima.

Compra de veículo

Em Barra do Bugres, a vítima estava negociando um veículo e fez dois pagamentos via pix para a conta indicada pelo golpista. Segundo a polícia, o chefe da vítima também fez uma transferência de valor para a mesma conta. Eles perceberam se tratar de um golpe, quando os suspeitos exigiram mais dinheiro, alegando que era para pagamento de frete e despachante. Na ocasião, recuperaram R$ 772, 73.

Leia Também

Golpe da menor

Em Nova Mutum, a vítima aceitou a amizade de uma pessoa pela rede social Facebook e alguns dias depois golpistas se passando por pais da jovem entraram em contanto falando que ela era menor de idade, criando diversas situações para solicitar valores em dinheiro à vítima.

Segundo a polícia, no momento em que fazia um depósito para a suposta família, a vítima foi alertada que a situação poderia se tratar de golpe e procurou a delegacia, onde registrou ocorrência. Em contato com o banco foram recuperados R$ 800.

Conta falsa em nome da vítima

Uma transferência via pix feita em Alta Floresta para uma conta errada, fez com que uma mulher do município de Canabrava do Norte descobrisse que golpistas tinham criado uma conta falsa em seu nome.

Segundo os policiais, a vítima de Alta Floresta digitou um número errado e fez uma transferência no valor de R$ 19 mil para conta de uma mulher que não era a destinatária da quantia. Durante as investigações, foi possível descobrir que a mulher era moradora da cidade de Canabrava do Norte, sendo realizado o contato com ela para restituição do valor.

Ainda de acordo com a polícia, a mulher que recebeu o dinheiro se mostrou surpresa e revelou que não tinha conta no banco mencionado, momento em que descobriu que golpistas tinham criado uma conta utilizando seus dados pessoais. Também foi restituído os R$ 19 mil transferidos pela vítima.

Golpes em outros estados

Outra ação da Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Informáticos de Mato Grosso em parceria com a 1º Delegacia de Boa Vista (RR), resultou na recuperação de  R$ 6.201,49 de uma vítima.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários