Jairinho na audiência do caso Henry Borel
Reprodução/Agência O Dia
Jairinho na audiência do caso Henry Borel

O ex-vereador Dr. Jairinho jurou que é inocente no caso Henry Borel. "Juro por Deus, nunca encostei uma mão, um dedo em um fio de cabelo de Henrý", disse durante audiência nesta quarta-feira. O interrogatório foi iniciado às 11h17 e durou cerca de dez minutos. A defesa pediu que a imprensa se retirasse, mas a juíza Elizabeth Louro permitiu a permanência de repórteres.

Com a voz embargada, Jairinho não respondeu ao interrogatório. Ele fez apelos á juíza de que precisa de diligências para sua autodefesa. O ex-vereador usou o espaço para pedir à juíza um confronto de perícia entre peritos contratados pela defesa e os do IML.

O acusado afirmou que pretende falar e provar sua inocência e de Monique. "Preciso provar a inocência minha e tenho certeza de que a de Monique também".

Jairinho pediu diligências como o confronto de perícia, exame toxicológico, imagens do hospital, imagem de raio-x, 3 folgas do prontuário, que segundo ele estavam faltando. A juíza retrucou que o réu era médico e não perito para dar opinião sobre prova técnica. O ex-vereador respondeu que não iria responder ás perguntas e o interrogatório foi encerrado.

Defesa de Jairinho pede que imprensa não acompanhe interrogatório do ex-vereador

A defesa de Jairinho fez um requerimento para que o interrogatório do ex-vereador fosse feito sem a presença da imprensa nem transmissão do YouTube. A Juíza Elizabeth Machado Louro pediu para que fotógrafos e cinegrafistas se retirassem do tribunal durante o interrogatório, mas permitiu que os repórteres continuassem acompanhando a audiência. A magistrada também determinou que a transmissão ao vivo fosse pausada durante o depoimento.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários