Mulher é humilhada e joga leite quente em funcionária de hotel
Pexels
Mulher é humilhada e joga leite quente em funcionária de hotel

Uma hospede de um hotel em Bertioga, São Paulo, atirou leite quente no rosto de uma funcionária do estabelecimento neste domingo, 12. A mulher disse ter se sentido humilhada com a situação, que aconteceu na frente de outros clientes. A vítima, de 40 anos, teve queimaduras de 1º grau e registrou um boletim de ocorrência sobre o caso.

De acordo com informações do G1, o caso ocorreu na manhã de domingo, no Indaiá Praia Hotel, no bairro Jardim Indaiá, no litoral paulista. A funcionária, que prefere não ter sua identidade relevada, é encarregada geral do hotel.

“Foi uma humilhação. Na frente de todos os hóspedes, ela se sentiu no direito de fazer o que ela fez, foi humilhante. Não é só a dor física, mas os processos psicológicos. Eu fui em casa antes do hospital, estava muito nervosa, precisava de um suporte. Meu marido ia me dar apoio e eu não parava de chorar”, conta a funcionária.

Em entrevista, a funcionária contou que a hóspede, que estava com o filho e um cachorro, perguntou se podia soltar o animal em uma área do hotel. A funcionária explicou que isso não era permitido, conforme regulamento do local, e que a informação já havia sido passada no início da estadia.

Ela conta que a hóspede estava se servindo em uma mesa onde todos os outros clientes também escolhem os alimentos para o café da manhã. Por conta da Covid-19, o protocolo de segurança do local exige o uso de uma luva para pegar a garrafa de café mas, a hóspede se serviu sem o utensílio de segurança.

Leia Também

Por isso, a funcionária explica que avisou a hóspede sobre a regra. Em seguida, a encarregada foi pegar um guardanapo com álcool para higienizar o recipiente. Porém, quando ela voltou para limpar a garrafa de café, a hóspede jogou uma xícara de leite quente no rosto dela.

“Ela dizia que eu estava 'tirando uma com a cara dela' e eu expliquei que estava apenas orientando. Saí morrendo de vergonha porque o salão estava lotado. Optei por não chamar a polícia no momento para não causar um tumulto e traumatizar a criança (filho da hóspede). Liguei para a gerente e me deram todo suporte. Ontem fiz (exame de) corpo de delito”, explica.

Na sequência, alguns hóspedes do hotel se indignaram com a situação e alguns se dispuseram a testemunhar a favor da funcionária. De acordo com a funcionária, outros trabalhadores do hotel disseram que foram abordados pela mesma mulher. Com um celular bem próximo às pessoas, ela questionou se a encarregada era uma pessoa grossa ou se dava problemas para o hotel.

“Eu me senti completamente humilhada, principalmente, em saber que depois que saí ela tentou inverter a situação como se a vítima fosse ela. As pessoas estão cada vez mais intolerantes, se sentem no direito de fazer o que bem entendem”, diz a funcionária.

A funcionária foi encaminhada ao Pronto Socorro de Bertioga e medicada. Depois do atendimento, ela se dirigiu à delegacia e registrou um boletim de ocorrência por lesão corporal. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), a vítima foi orientada quanto ao prazo para a representação criminal.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários