Valdenice Alves de Novais, de 53 anos, foi encontrada com sinais de confusão mental
Reprodução Redes Sociais
Valdenice Alves de Novais, de 53 anos, foi encontrada com sinais de confusão mental

Uma mulher de 53 anos, desaparecida desde o dia 29 de novembro em Barro Preto, no sul da Bahia, foi encontrada com vida e amarrada em uma cova rasa depois que o companheiro confessou enterrá-la viva. Valdenice Alves de Novais foi localizada pela polícia nesta quinta-feira em uma região de mata e tinha sinais de uma pancada na cabeça. Ela passou a noite em observação em um hospital da região e foi liberada. O homem, com quem a vítima mantinha um relacionamento há seis meses, foi preso e não teve o nome divulgado.

Investigadores da 6ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin) de Itabuna e da Delegacia Territorial (DT) de Barro Preto informaram que o homem manteve a vítima em cárcere privado e brigou por ciúme. Ele nega agressões, mas admite tê-la enterrado com vida.

Valdenice desapareceu depois que saiu para passar a semana com o companheiro. Ela foi dada como desaparecida, até ser encontrada com lesões, desidratada e com sinais de confusão mental.

Segundo a irmã da vítima, que pediu para não ter o nome divulgado, Valdenice fez os exames e está em casa, mas ainda não está em condições de conversar. Como o relacionamento dos dois é recente, os familiares não sabem dizer o nome do companheiro de Valdenice.

A irmã da vítima enviou ao GLOBO um vídeo em que o agressor confessa a agressão por ciúmes, em forma de "castigo" à mulher por querer ficar com outro homem. O agressor admitiu que amarrou e cavou a cova de três palmos, e que sabia que ela estava viva quando a enterrou.

Leia Também

Localizado na zona rural de Barro Preto, o suspeito confessou o crime e apontou o local onde enterrou a companheira. Em depoimento, ele declarou ter empurrado a mulher durante uma discussão, no último domingo. De acordo com a polícia, ele informou que a vítima caiu e bateu com a cabeça no chão, ficando desacordada por alguns minutos, e foi neste momento que o homem achou que a companheira estava morta. Após reanimar a vítima, ele a amarrou e a enterrou numa cova rasa.

O delegado Evy Paternostro, coordenador da 6ª Coorpin/Itabuna, informou por meio de nota que as buscas pela mulher duraram horas na mata fechada. "Ele (o agressor) disse que sabia que a mulher estava viva e fez isso como castigo, pois estava com ciúmes e queria punir a companheira", destacou.

O homem foi preso por cárcere privado, durante a Operação Unum Corpus. “Já solicitamos a conversão do flagrante em prisão preventiva”, acrescentou o delegado.

Valdenice já está com a família, e a irmã da vítima contou que ela está fragilizada, e que ainda não conseguiu dar detalhes do que aconteceu.

"Ela fica apenas parada olhando para a gente", afirmou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários