Idosa faz sucesso nas redes sociais por rebater neta que diz preferir ivermectina à vacina
Reprodução
Idosa faz sucesso nas redes sociais por rebater neta que diz preferir ivermectina à vacina

Uma idosa está fazendo sucesso nas redes sociais por protagonizar um vídeo no qual rebate a própria neta ao ouvir ela dizer que prefere tomar o remédio ivermectina do que a vacina contra a Covid-19. O remédio é utilizado contra parasitoses e não possui eficácia comprovada contra o novo coronavírus.

A neta, Ana Carolina Bonfim, grava a avó ao dizer para ela que o medicamento seria mais eficiente que a vacina para proteger contra a Covid-19 e que, por isso, tomaria cinco caixas. A fala logo gera indignação na senhora, que implora para a neta se vacinar e ainda reclama do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), defensor do "kit covid" e do "tratamento precoce", sem comprovação científica. 

O vídeo possui mais de 283 mil visualizações no TikTok e mais de 70 mil curtidas. Os números foram alcançados em menos de 48 horas. "Vai tomar essa [vacina] pelo amor de Deus, Ana. Isso aqui [ivermectina] é para lúpus. [Não é] de hoje que existe esse remédio, mas é para lúpus, não é para isso [Covid-19], não", diz a idosa.

@oficialana2k

Falei pra minha vó que vou tomar invermectina ao invés da vacina 🤫😂 #vacina #vovó #vovóbolada #invermectina #engraçado #maravilhosa #vó #risada #rj

♬ som original - Ana Carolina Bonfim

Em entrevista ao portal UOL, Ana Carolina disse que a interação do vídeo nasceu de uma brincadeira. "Eu falei brincando, vou me vacinar [na verdade]. Não vacinei ainda porque eu estava gripada, na minha cidade a vacinação está bem avançada. [...] Eu ainda vou me vacinar até porque eu quero viajar e só dá para viajar se tiver com vacina", revelou.

No vídeo, a garota diz que a ivermectina teria 56% de "eficácia", mas testes científicos mostram que o medicamento não possui eficácia contra a Covid-19. Já as vacinas, qualquer uma delas, são eficazes para reduzir casos de infecção e mortes pelo novo coronavírus. 

- Com informações do portal UOL.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários