Museu
Divulgação
Museu

Com a presença dos presidentes de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, e Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, além dos ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Michel Temer, o Museu da Língua Portuguesa foi reinaugurado neste sábado, em São Paulo. 

Convidado a participar do evento, o presidente Jair Bolsonaro não compareceu e preferiu participar de uma motociata com apoiadores em Presidente Prudente, no interior paulista .

Atingindo por um incêndio, em dezembro de 2015, o espaço, que está localizado junto à Estação da Luz, foi reconstruído após quase seis anos 

Em discurso, o presidente de Portugal, enalteceu o ocorrido. "Aqui viemos para não esquecer as cinzas do passado, mas a partir delas construir hoje o futuro. Esta é uma celebração do futuro, o futuro da nossa língua no mundo", apontou Rebelo de Sousa, que, na ocasião, concedeu ao Museu a medalha da ordem de Camões, destinada a pessoas e instituições notáveis.

"O primeiro museu do mundo dedicado totalmente a um idioma está de volta. O Museu da Língua Portuguesa retornou ainda melhor. Com mais recursos, mais tecnologia, segurança e conforto. Fruto do esforço conjunto do Governo de SP e da iniciativa privada. Parceria que fez da tragédia o renascimento, das cinzas um recomeço. Viva a cultura", escreveu o governador de São Paulo, João Doria, no Twitter. "Um país que respeita sua história, respeita o seu futuro", acrescentou ele, que agradeceu a presença dos presidentes de outros países e dos ex-presidentes brasileiros.

Vale lembrar que a reinauguração ocorreu na mesma semana em que a Cinemateca Brasileira pegou fogo e afetou o acervo audiovisual brasileiro.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários