Prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes reiterou que decisão final cabe às autoridades médicas
Fernando Frazão/Agência Brasil
Prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes reiterou que decisão final cabe às autoridades médicas

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, afirmou, nesta quarta-feira, que defende misturar vacinas diferentes da covid-19 entre as primeiras e segundas doses. No entanto, segundo informações do Extra, ele ressaltou que a decisão não compete a ele, mas às autoridades médicas. Paes falou sobre a vacinação durante um evento no Porto Maravilha.

"Estamos vendo várias experiências pelo mundo em que há sim primeira dose de Astrazeneca e segunda de Pfizer. Isso é possível, a gente defende na prefeitura que seja assim. Mas é uma decisão do PNI (Programa Nacional de Imunizações), do Ministério da Saúde e da Secretaria municipal de Saúde", afirmou.

Eduardo Paes também falou sobre a necessidade da população continuar com as medidas de prevenção contra a covid-19, como usar máscara de proteção e evitar aglomeração, em decorrência do surgimento de mais uma variante, a delta.

"As ações mais tradicionais, de controle de fronteiras, em geral são em aeroportos, com a Anvisa, ou em rodoviárias, ações mais a nível estadual e federal. Mas chamamos a atenção para a população. As variantes existem, provavelmente com transmissão comunitária. Estamos muito otimistas com a vacinação, mas é importante que as pessoas ainda tomem cuidado, usando máscara e com distanciamento social".


A cidade do Rio está aplicando, desde o início de junho, segunda dose da vacina da Pfizer em grávidas e puérperas que tomaram a primeira dose de Astrazeneca.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários