Presidente Jair Bolsonaro tornou-se alvo da CPI após denúncias do deputado federal Luís Miranda (DEM-DF)
Agência Brasil
Presidente Jair Bolsonaro tornou-se alvo da CPI após denúncias do deputado federal Luís Miranda (DEM-DF)

Após o deputado federal Luís Miranda (DEM-DF) tornar pública conversas com supostos membros do Palácio do Planalto , em que o parlamenta supostamente teria avisado o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de irregularidades no Ministério da Saúde há mais de três meses, o capitão tornou-se o centro das investigações da CPI da Covid. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

A denúncia abriu um novo flanco de investigações. Omar Aziz (PSD-AM), senador e presidente da comissão parlamentar de inquérito, inclusive ressaltou que talvez trata-se da denúncia mais grave já recebida pelos membros da CPI.

"Eu pedi uma informação do diretor-geral da Polícia Federal se houve o pedido para investigar a compra da Covaxin. Se o presidente ligou para o diretor-geral da Polícia Federal e disse: ‘Ó, tem uma denúncia aqui feita pelo deputado Luís Miranda e pelo irmão dele e a gente quer saber se realmente tocaram essa investigação'. É uma coisa natural. O presidente, se foi comunicado e tomou providência, ótimo. Se não tomou providências, é preocupante", opinou Aziz em entrevista à Folha.

Em resposta, escalou-se o assessor especial da Casa Civil - investigado pela CPI - e ex-secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, para que ele pudesse explicar a compra dos imunizantes indianos.

A Polícia Federal ainda foi escalada para investigar o parlamentar que realizou a denúncia, deputado Luís Miranda (DEM-DF), e seu irmão e servidor do Ministério da Saúde, Luís Ricardo Miranda.


Aziz, porém, ressaltou que é preciso ter "muito cuidado porque talvez tenha sido a denúncia mais grave que a CPI recebeu. Por isso que eu preciso ter muita cautela, muita paciência e não passar a carroça na frente dos bois".

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários