André Rodrigues de Oliveira, conhecido como Pateta, é um dos criminosos presos na Operação Fomentus
Fabiano Rocha / Agência O Globo
André Rodrigues de Oliveira, conhecido como Pateta, é um dos criminosos presos na Operação Fomentus


Criminosos que desviavam cartões de créditos, com o intuito de comprar bebidas alcoólicas para bailes funk, são alvos de uma operação da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA). Intitulada de ‘Fomentus’, a ação tem como o objetivo prender os fraudadores dos cartões. Até as 7h10m, dois homens já haviam sido presos e quatro automóveis de luxos apreendidos. De acordo com as investigações, as bebidas alcoólicas eram revendidas principalmente para menores de idade. Ao todo estão sendo cumpridos dois mandados de prisão e 15 de busca e apreensão.

Segundo as investigações da DPCA, essas bebidas alcoólicas adquiridas de forma fraudulenta eram fornecidas ostensivamente aos menores. Estão presos André Rodrigues de Oliveira, conhecido como Pateta, e Robson de Carvalho, apelidado de Sargento. Eles foram presos na Barra da Tijuca e Recreio dos Bandeirantes, respectivamente, na Zona Oeste do Rio, e são acusados de estarem à frente do esquema.

O inquérito da Polícia Civil afirma que o grupo realizou 25 compras de bebidas alcoólicas em uma loja atacadista com uso de um cartão de crédito corporativo desviado de uma empresa, totalizando um prejuízo de aproximadamente R$ 713 mil.

Também foram identificados os estabelecimentos onde ocorria a receptação da carga adquirida de forma ilícita, sendo um deles um galpão sem identificação explícita em Madureira, na Zona Norte do Rio, na entrada da comunidade do Cajueiro, e outro na Estrada do Campinho, em Campo Grande, na Zona Oeste, onde funciona um depósito de bebidas.

Além do cumprimento das prisões e de buscas e apreensões, foi determinado pelo juiz da 11ª Vara Criminal o sequestro de dezoito veículos, incluindo caminhões e carros de luxo. Também foi pedido o bloqueio judicial das contas bancárias vinculadas aos investigados, visando a garantir o ressarcimento futuro dos danos causados pela prática dos crimes.


Segundo a DPCA, a investigação prosseguirá para a identificação de outros integrantes do grupo criminoso, inclusive, os responsáveis pelos eventos onde bebidas alcoólicas são oferecidas a menores. Também serão investigadas a recuperação de outros bens adquiridos de forma fraudulenta, localização de demais vítimas, além da investigação de provável ocultação de patrimônio de origem ilícita, lavagem de dinheiro e outros crimes.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários