Igor Martins Pinheiro, 22, acusado de ter roubado uma bicicleta
Reprodução
Igor Martins Pinheiro, 22, acusado de ter roubado uma bicicleta

RIO — O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) denunciou Igor Martins Pinheiro, de 22 anos, por furtar a bicicleta elétrica de Mariana Spinelli, que, junto do seu namorado, acusou em falso o instrutor de surfe Matheus Ribeiro, de 22 anos, pelo delito. O fato, de grande repercussão por se tratar de um caso de "racismo estrutural", ocorreu na tarde do último dia 12, na Avenida Afrânio de Melo Franco, no Leblon, Zona Sul do Rio. A denúncia foi apresentada junto à 40ª Vara Criminal da Capital.

"O denunciado, no dia dos fatos, ao passar pela calçada movimentada onde a bicicleta estava estacionada em um bicicletário, logrou romper a corrente e o cadeado que travavam o veículo e, em seguida, evadiu-se do local. Policiais civis abordaram o denunciado e seu irmão, em via pública, no dia 16, deste mês, momento em que, durante revista pessoal, encontraram dentro da mochila do irmão de Igor um alicate de pressão de 18 polegadas, devidamente apreendido", relata trecho da denúncia.

De acordo com o MP, o denunciado se enquadra nas penas do art. 155, §4, I, do Código Penal (subtrair, para si ou para outrem, coisa alheia móvel), com pena inicial de reclusão de dois a oito anos, e multa, podendo ser agravada.

O caso teve grande repercussão na mídia, a partir do momento em que a proprietária da bicicleta, Mariana Spinelli, e seu companheiro, Tomás Oliveira, abordaram, no mesmo bairro do Leblon, e antes da prisão de Igor, um outro rapaz, este da raça negra, supondo tratar-se do autor do furto.

Você viu?

Abordagem equivocada

O que era para ser apenas um passeio no meio do dia dos namorados se transformou num ataque racista contra Matheus Ribeiro da Cruz, de 22 anos, instrutor de surfe e morador da Maré. Enquanto aguardava a namorada, na porta do Shopping Leblon, o jovem foi abordado por um casal, de brancos, que desconfiava de sua bicicleta elétrica, pois a moça teria tido uma bicicleta semelhante furtada nas proximidades.

Em um vídeo, Ribeiro filmou o final da discussão, em que o rapaz pede "desculpas" pela acusação. No seu instagram, o instrutor narrou o acontecido "E pra você, que é pretin igual eu, seja cuidadoso ao andar em lugares assim. Eles vão te culpar, pra depois verem o que aconteceu", concluiu, no texto.

O vídeo mostra apenas a parte final da discussão, mas as imagens vêm gerando muita repercussão e revolta nas redes sociais, com diversas pessoas se solidarizando com Ribeiro. O jovem diz que precisou provar ser o verdadeiro dono da bicicleta, com fotos antigas e até a chave do cadeado. E explica, no post, que o casal só desistiu quando o rapaz tirou a tranca de sua mão e tentou abrir com a chave que ele possuía. Ao ver que não abria e, portanto, a tranca e a bicicleta eram outras, ele pediu desculpas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários