José Tiago Correia Soroka, suposto serial killer de gays que se compara ao Coringa
Divulgação
José Tiago Correia Soroka, suposto serial killer de gays que se compara ao Coringa

A Polícia Civil diz ter prendido José Tiago Correia Soroka, de 32 anos, suspeito de ter matado três homens gays no Paraná . O suposto serial killer , que se compara ao personagem Coringa , teria tentado matar outra vítima com o mesmo perfil no início do mês, em Curitiba. As informações são do UOL.

Em todos os casos, o suposto serial killer de gays escolhia os alvos em aplicativos de namoro LGBT, ganhava confiança após trocas de fotos e praticava o crime na casa das vítimas para roubá-las em seguida. Dois crimes aconteceram em Curitiba e outro em Abelardo Luz, em Santa Catarina.

A polícia buscava José Tiago desde o início do mês no Paraná. Ele foi preso, segundo a Polícia Civil, em Capão Raso, bairro da capital Curitiba. Ao UOL, o delegado Thiago Nóbrega, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) do Paraná, disse que ele já se enquadra como serial killer e que, com o tempo, a polícia deve identificar novas vítimas.

"Perante a sociedade, [ele é] um indivíduo carismático, educado e gentil, porém se transformava em violento quando ingressava no apartamento das vítimas", conta o delegado. Ele deve possuir um distúrbio psiquiátrico, ele se enquadra como um psicopata. Ele também pode ser classificado como um serial killer", explicou.

O serial killer tem mandado de prisão temporária expedido pela Justiça do Paraná pelos latrocínios e tentativa de homicídio, quando, em 11 de maio, tentou matar mais uma vítima, mas não conseguiu e foi denunciado. José Tiago tem passagens pela polícia por roubo, em 2015 e 2019, e está proibido de se aproximar de duas ex-esposas por medidas protetivas.

A investigação chegou ao suspeito após enxergar semelhança entre as mortes do enfermeiro David Levisio, de 30 anos, e do acadêmico de medicina Marcos Vinício Bozzana da Fonseca, de 25 anos, em Curitiba, que tiveram seus corpos encontrados, respectivamente, em 30 de abril e 5 de maio.

Um crime similar já havia ocorrido um mês antes, em 17 de março, em Abelardo Luz (SC), contra Robson Paim, professor universitário de 36 anos da UFFS (Universidade Federal da Fronteira Sul).

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários