Franciele Bergamin, de 29 anos, morreu após ser picada por uma cobra
Reprodução/Facebook
Franciele Bergamin, de 29 anos, morreu após ser picada por uma cobra

Uma mulher de 29 anos morreu na última sexta-feira, 30, depois de ser  picada por uma cobra jararaca dentro da própria casa, em Vila Rica (MT). Franciele Bergamin foi picada no braço na quarta-feira, 28.

Após o ataque, ela foi socorrida para o Hospital Municipal de Vila Rica, onde recebeu soro antiofídico [para veneno de cobra]. Ainda assim, o quadro de saúde dela piorou e ela foi transferida para o Hospital Regional de Água Boa, onde foi internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

De acordo com o boletim médico, Franciele teve edema, choque tóxico, hipotensão, hipotermia e insuficiência renal aguda. A mulher deixa dois filhos, entre eles uma bebê de 3 meses, e o marido.

As jararacas são venenosas e uma das principais responsáveis por acidentes com picadas no Brasil. A coloração da serpente, que a camufla em meio às folhas secas, dificulta a visualização, o que contribui para o aumento de registros de acidentes com a espécie.

Jararaca
Reprodução
Jararaca

Diante de picadas de cobras, o Corpo de Bombeiros orienta que a vítima procure o serviço médico mais próximo para receber o soro antiofídico. A medicação pode ser polivalente, para os casos em que a vítima não sabe informar a espécie da cobra, ou específico, quando há identificação do tipo do animal. Caso a vítima da picada não possa reconhecer o animal, é importante leva-lo dentro de um recipiente seguro, para facilitar a identificação, para a administração do soro.

O local da picada deve ser lavado apenas com água e sabão. Nenhum outro medicamento deve ser utilizado antes de uma avaliação médica.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários