Tânia Rêgo/Agência Brasil
"Foram escolhas minhas. Agora estou colhendo", disse mãe de Henry ao seu pai

As apreensões de telefones celulares e computadores de Monique Medeiros , mãe do menino Henry Borel, assassinado aos 4 anos de idade, revelam conversas da professora com seus pais. Em uma das mensagens, Monique disse estar "colhendo" o resultado de suas escolhas.

“Devo merecer o que está acontecendo. Foram escolhas minhas. Agora estou colhendo. Me sinto muito culpada”, escreveu a seu pai. No total, foram 136 mensagens trocadas entre os dois de 13 a 24 de março.

Sua mãe, Rosângela Medeiros, busca acalmar a professora ao dizer que "tem coisas que nós, mães, não conseguimos evitar que o filho passe. Estou em oração por você e Deus escuta nossas orações”. "Você foi a melhor mãe para o seu filho". Houve uma troca de 226 mensagens entre a avó e a mãe de Henry Borel.

As conversas foram descobertas pela 16ª Delegacia de Polícia da Barra de Tijuca, unidade responsável pela apuração e investigação do caso. Investigadores realizaram o processo de recuperação das mensagens que haviam sido apagadas.

Em meio as mensagens, é possível observar que Monique buscava apoio da mãe. Dado momento, Rosângela enviou a Monique que "ele [Henry] será sempre grato".


Mãe e acusada de participar do assassinato do filho de 4 anos, Monique encontra-se isolada numa cela do Hospital Penitenciário Dr. Hamilton Agostinho, no Complexo de Gericinó. A professora encontra-se com covid-19 e atualmente está em recuperação.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários