Deputada federal Flordelis (PSD-RJ)
Michel Jesus/Câmara dos Deputados
Deputada federal Flordelis (PSD-RJ)

Nesta segunda-feira (26), Simone dos Santos Rodrigues, filha da deputada federal Flordelis (PSD-RJ), declarou que foi a responsável em entregar os R$ 5 mil para matar o padrasto, Anderson do Carmo . Na manhã desta segunda-feira (26), Simone está prestando esclarecimentos para o conselho de Ética da Câmara dos Deputados, em Brasília, como testemunha de defesa no processo de cassação da deputada . As informações foram apuradas pelo O Dia. 

Segundo Simone, a motivação para o crime tinha relação com as investidas sexuais do pastor. No início de 2021, ela já havia apresentado essa versão para a Justiça, em um interrogatório . Porém, os filhos adotivos do casal contradiziam a versão de Simone e apontam Flordelis como elaboradora do plano que tirou a vida de seu marido.

Filha compartilha que “sofria assédio todos os dias” de Anderson e falou sobre a inocência de sua mãe. “Ela não sabia de nada, ela não tinha ciência nenhuma de nada que estava acontecendo”, declarou Simone.

Na última segunda-feira (10), Lucas Cezar dos Santos de Souza, filho adotivo de Flordelis, prestou seu depoimento no Conselho de Ética , de modo online, pois se encontra preso no Presídio Tiago Teles, em São Gonçalo, região metropolitana, para prestar seu depoimento na Câmara dos Deputados , na capital do país.

Você viu?

Conforme conta, a deputada enviava cartas com frequência pedindo para que ele assumisse a autoria do crime . Se isso não acontecesse, ela e Flávio dos Santos Rodrigues, filho biológico de Flordelis, seriam prejudicados nas investigações. Segundo as autoridades que apuram o caso, Flávio seria o responsável pela morte do pastor.

"Isso veio em uma carta através dos advogados do Flávio. Cheguei no presídio dias depois dele. Ficamos na mesma cela. Minha mãe mandava cartas com frequência para mim. Em uma delas, ela pediu para eu assumir a autoria do crime. Do contrário, ela e o Flávio poderiam ser prejudicados. Ela pediu para eu fazer isso, falando que não iria me abandonar e me daria toda a assistência. Inclusive a carta tinha a assinatura dela", declarou o filho afetivo.

Lucas ainda conta que Marzy Teixeira da Silva, outra filha afetiva da deputada, foi a encarregada de planejar o crime a pedido de Flordelis. 

"Quem entrou em contato comigo pela primeira vez foi a Marzy, em janeiro de 2019. Ela me ofereceu um dinheiro. Falou que o Anderson estava atrapalhando a vida dela, atrapalhando a vida da minha mãe e que ninguém na casa estava suportando mais ele e perguntou se eu não dava um fim nele. Na época, eu estava no tráfico de drogas. Ela me ofereceu o valor de R$ 10 mil e alguns relógios para eu dar um fim nele. E me mandou uns prints (cópias) de conversas dela com a minha mãe", contou Lucas.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários