Menino Henry Borel, de 4 anos, morreu no dia 8 de março
Reprodução
Menino Henry Borel, de 4 anos, morreu no dia 8 de março

A babá do menino Henry Borel chorou durante o segundo depoimento que prestou nesta sexta-feira (9) na 16ª DP (Barra da Tijuca), na zona oeste do Rio de Janeiro , e vai marcar uma nova data para fazer relatos.

Acompanhada do marido, ela chegou a ir à delegacia, mas desistiu de falar ao perceber uma movimentação na porta da sala de depoimento.

Em seu relato anterior, a babá omitiu agressões de Dr. Jairinho, padrastro de Henry, e, por conta disso, é investigada pelo Polícia Civil por falso testemunho. Ela afirmou que não teria percebido qualquer fato estranho durante o tempo que cuidou do menino.

No entanto, os investigadores descobriram no celular apreendido da mãe do Henry, Monique Medeiros, uma troca de mensagens em que a babá alertou sobre agressões de Jairinho contra a criança, inclusive com relatos de que a criança sentia dor no joelho e na cabeça.

Ex- mulher de Jairinho

A ex-mulher de Jairinho também foi ouvida nesta sexta-feira (9) sobre o histórico do vereador investigado pela morte do enteado. Ela entrou por uma porta lateral na delegacia que investiga o crime.

Em 2014, ela registrou uma queixa por agressão, mas o caso acabou arquivado. No entanto, vizinhos relataram que ouviam gritos e pedidos de socorro da residência da família.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários