Sabrina Nominato Fernandes Villela, de 37 anos
Metrópoles
Sabrina Nominato Fernandes Villela, de 37 anos

No Distrito Federal , há cinco meses, a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), investiga a morte da medida Sabrina Nominato Fernandes Villela, de 37 anos. As autoridades, haviam constatado de que a causa da morte seria suicídio , porém, com o inquérito feito pela 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá) indica que a causa da morte se afasta da conclusão dada pelas autoridades anteriormente. As informações foram apuradas pelo Metrópoles.

Com o passar dos meses, foi possível perceber algumas contradições em depoimentos, possíveis marcas de violência doméstica , corpo da vítima com escoriações, duas costelas quebradas e seguros de vida. Com tais indícios, a família da vítima começou a suspeitar de que o marido dela, André Reis Villela, personal trainer de 41 anos, fosse o principal suspeito de sua morte. 

Até o momento, André Reis não foi investigado pelas autoridades. Com o andamento do inquérito, depoimentos das testemunhas do caso mostram um suposto relacionamento abusivo entre Sabrina e André. Eles estavam casados a cerca de seis anos e morando em um apartamento alugado, no condomínio Mini Chácaras, no Altiplano Leste.

Em 10 de outubro de 2020, Sabrina foi encontrada morta pelo seu marido, na cama do casal. Ela estava de bruços, com o rosto entre os travesseiros, em uma posição em que resultaria uma asfixia. Uma ambulância do Corpo de Bombeiros foi acionada por André, mas ao chegar no local, a vítima já se encontra roxa, sem vida e teve sua morte confirmada pelos socorristas. A polícia Civil foi chamada somente no dia seguinte pelo porteiro do condomínio. 

Você viu?

Durante investigação, a PCDF ouviu familiares e amigos da médica e dois deles contaram as autoridades que Sabrina sofria agressões físicas e estava com dificuldades para encerrar um suposto relacionamento abusivo . Segundo uma enfermeira que trabalha com Sabrina, em agosto de 2020, América chegou uma vez no trabalho com marcas de unhas no rosto e disse a amiga que teria sofrido um acidente em um carro de aplicativo.

Após corpo da vítima ter sido encontrado, algumas horas depois, André deu seu depoimento na delegacia e disse que no dia anterior, o casal compareceu no aniversário de uma amiga, em um restaurante e que em seguida, eles foram para um bar onde Sabrina teria ingerido muita bebida alcoólica. 

E que ainda no local, ela teria passado mal por sofrer com a síndrome de Vasovagal, condição que causa perda de consciência, causada pela diminuição da pressão arterial e dos batimentos cardíacos. Segundo seu marido, após se sentir mal ela teria deitado no chão, levantado as pernas e depois que sentiu sua melhora, voltou a consumir mais bebida.

Ainda de acordo com os seus depoimentos, André disse que Sabrina fazia uso diário de remédios para dormir. Disse que ela tomava em média, cinco comprimidos de uma vez e que urinava na cama com regularidade devido a isso, acontecimento que deixava ele irritado

Contou aos policiais que ela enfrentava uma depressão e já havia sofrido dois abortos espontâneos. Na mesma fala, também declarou que a esposa nunca teria comentado sobre tirar a própria vida.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários