O menino Henry tinha 4 anos
Reprodução
O menino Henry tinha 4 anos

O governador em exercício do Rio de Janeiro , Cláudio Castro , admitiu que recebeu uma ligação do médico e vereador Jairo de Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho (Solidariedade), logo após a morte do menino Henry Borel Medeiros, de 4 anos , enteado do vereador.

A ligação aconteceu horas depois da morte da criança e antes de o caso chegar ao noticiário. Em nota enviada pelo Governo do Estado, Castro afirma que "limitou-se a explicar ao vereador que o assunto seria tratado pela delegacia responsável pelo inquérito e encerrou a ligação".

Você viu?

"O governador Cláudio Castro confirma que recebeu uma ligação do vereador Doutor Jairinho horas antes de o caso envolvendo o menino Henry ganhar repercussão na mídia. No telefonema, ao saber do fato, Castro limitou-se a explicar ao vereador que o assunto seria tratado pela delegacia responsável pelo inquérito e encerrou a ligação. O governador em exercício reitera que sempre garantiu total autonomia à Polícia Civil e que não interfere em investigações", disse.

Na tarde desta quinta-feira, às 14h, vai acontecer a reprodução simulada do caso no apartamento onde a mãe do menino, a professora Monique Medeiros da Costa e Silva, e Dr. Jairinho (Solidariedade) moravam com Henry. A mãe e o padrasto do menino irão apresentar aos peritos do Instituto Médico Legal (IML) e do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) e aos policiais da 16ª DP (Barra da Tijuca) a versão deles sobre o que aconteceu no último dia 8 de março, quando, às 3h30, a criança deu entrada morta no Hospital Barra D’Or.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários